O Brasil no Qatar: Dani Alves é surpresa, mas vai para a Copa credenciado por história na Seleção


É unânime que a convocação da Seleção Brasileira para a disputa de uma Copa do Mundo nunca causa unanimidade entre os torcedores. Nesta sexta-feira, o nome de Daniel Alves foi o que mais causou polêmica entre os torcedores na chamada de Tite para o Mundial do Qatar.

+ Com Daniel Alves, Tite convoca a Seleção Brasileira para a Copa do Mundo; veja os nomes

+ O Brasil no Qatar: no auge técnico, Neymar vai para Copa do Mundo como expoente da Seleção

Sem jogar oficialmente há praticamente dois meses, quando o Pumas foi eliminado do Campeonato Mexicano, o defensor de 39 anos tem mantido a forma física em treinos no Barcelona B.

Mesmo assim, o camisa 13 foi chamado, vai para o Qatar e teve uma exaltação pela evolução nos últimos meses por Fábio Mahseredjian, preparador físico da CBF.

A história de Dani Alves, terceiro jogador com mais partidas pela Seleção Brasileira - e a um jogo de empatar com Roberto Carlos, na vice-liderança do ranking - o credencia para tal. E Tite sabe que, num torneio de tiro curto, a experiência faz diferença.

Outros nomes tiveram esse papel de "fora de campo" nas campanhas vitoriosas do Brasil na Copa do Mundo. Dani Alves, inegavelmente, já não é mais o lateral-direito que arrancava suspiros nos tempos de Barcelona, mas é um jogador que entende o sistema e, o mais importante, tem a confiança de Tite.

Pessoalmente, a Copa do Mundo pode ser ainda mais importante para o lateral-direito. Jogador com mais títulos conquistados na história do futebol, uma das poucas conquistas que faltam para a galeria do defensor é justamente o Mundial.

Prestes a disputar a quarta Copa do Mundo da carreira, Daniel Alves chega questionado pela torcida, mas com a aprovação da comissão técnica.