O acerto de Zidane e a transformação do senhor Champions League, o craque decisivo com e sem apito amigo

A arbitragem beneficiou o Real Madrid nas quartas de final da Uefa Champions League. Dos três gols de Cristiano Ronaldo, em dois o gajo estava impedido. Arturo Vidal merecia ter sido expulso anteriormente, mas não no lance em que foi punido e deixou o campo. Um erro não compensa o outro. Isso fora outras trapalhadas que prejudicaram o Bayern de Munique. De qualquer forma, isso não anula o merecimento do time espanhol, que foi superior no contexto geral da eliminatória, principalmente na Alemanha, em plena Allianz Arena, e está na semifinal da UCL pela sétima vez seguida, um recorde histórico do torneio.

Os erros também não anulam o absurdo Cristiano Ronaldo.

Cristiano Ronaldo Real Madrid Bayern Munich UCL 18042017

Alguns teimam em dizer que o português não é decisivo, mas ele segue calando os haters. Dois de seus três gols no Santiago Bernabéu foram em posição irregular, mas o camisa 7 marcou outros dois na Alemanha e, dos seis tentos do Real no confronto de gigantes com o Bayern, ele anotou cinco.

Nesta edição da Uefa Champions League, CR7 tem sete gols, e só está atrás de Cavani, Lewandowski (oito cada) e Messi (11) na artilharia. No entanto, enquanto o uruguaio e o polonês só deram uma assistência cada e o argentino duas, o gajo já deu passes para seus companheiros balançarem as redes seis vezes. Na lista de líderes de assistências, ele só está atrás de Neymar, que tem oito. Todos os seus concorrentes, porém, já foram eliminados da competição, enquanto o gajo é o jogador que mais participou de gols de forma direta no torneio (13) e ainda está vivo com o Real Madrid.

Se os números na edição atual e os cinco gols decisivos contra o Bayern de Munique não são suficientes para você, a história deve te convencer. Cristiano Ronaldo é o maior artilheiro da história da Uefa Champions League, com 100 gols, e o líder de assistências do torneio, com 31 passes para tentos. Ele também é quem mais marcou gols em uma única edição da competição (17), em uma única fase de grupos (11), na história do mata-mata (45) e a partir das quartas de final (32, ao lado de Di Stéfano). Isso sem falar nos três títulos e nas cinco vezes em que foi artilheiro.

Cristiano Ronaldo Champions League 29052015

Se quiser, você também pode chamar Cristiano Ronaldo de senhor Champions League.

Ainda assim, caso o desempenho na principal competição de times do mundo não seja suficiente, CR7 ganhou três vezes o Mundial de Clubes, entre outros vários títulos, foi eleito o melhor jogador do planeta em quatro oportunidades e conseguiu o que nem mesmo Eusébio e Figo conseguiram: liderar Portugal na conquista de um grande troféu, no caso, a Eurocopa. O gajo ainda é o maior artilheiro da sua seleção em todos os tempos, o goleador histórico da Euro com 29 gols (contando as Eliminatórias), o único a marcar em quatro edições diferentes do torneio e o maior artilheiro (ao lado de Platini, com nove tentos para cada).

Cristiano Ronaldo, inegavelmente, é decisivo e um dos maiores jogadores da história do futebol.

Curiosamente, porém, o português não vive sua melhor temporada e não estava chamando tanta atenção até brilhar e ser absurdamente decisivo contra o Bayern de Munique. E isso muito em função de o craque viver sua temporada com menos minutos em campo pelo Real Madrid.

A decisão foi de Zinedine Zidane, que muitas vezes foi criticado por isso. O próprio CR7, irritado, não gostou. No entanto, Zizou mostrou que suas escolhas, tanto a de poupar o craque, tentando ter o português descansado e nas melhores condições físicas na reta final e decisiva da temporada, quanto a de mudar cada vez mais seu posicionamento, estavam completamente corretas.

Cristiano Ronaldo Zinedine Zidane Real Madrid

(Fotos: Getty Images)

Afinal, mesmo poupando o gajo nos jogos contra adversários mais fracos e o substituindo nas partidas já decididas, o Real Madrid lidera La Liga com três pontos de vantagem para o Barcelona, tendo ainda um jogo a menos que o rival, e está na semifinal da Uefa Champions League.

Quanto ao posicionamento, fica nítido que aquele jogador habilidoso e veloz, atuando aberto pelo lado esquerdo, partindo em diagonal deixando seus adversários para trás com dribles rápidos e muita velocidade e finalizando de forma cirúrgica, está se transformando em um centroavante finalizador.

Os mapas de calor de CR7 nas duas partidas contra o Bayern de Munique comprovam a análise, assim como seus números.

Confira os números e o mapa de calor de CR7 no jogo de ida contra o Bayern:

GFX Cristiano Ronaldo Bayern de Munique Real Madrid Uefa Champions League
Heat Map Ida Bayern de Munique Real Madrid Uefa Champions League Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo ficou a maior parte do tempo das duas partidas centralizado no ataque do Real Madrid, como referência, raramente voltando para marcar e sendo, mais do que nunca, o definidor de jogadas. Não à toa, ele participou pouco da partida, como mostram seus números de toques na bola e passes. Por outro lado, ele foi super decisivo, finalizando praticamente todos os ataques blancos e marcando cinco dos seis gols da equipe. Os cinco tentos, aliás, foram de dentro da área e típicos de um centroavante.

Confira os números e o mapa de calor de CR7 no jogo de volta contra o Bayern:

GFX Cristiano Ronaldo Real Madrid Bayern de Munique Uefa Champions League
Heat Map Volta Real Madrid Bayern de Munique Uefa Champions League Cristiano Ronaldo

(Números e mapas de calor: Opta)

Além de um dos maiores jogadores da história do futebol, estamos vendo uma transformação no estilo de jogo de Cristiano Ronaldo, uma mudança tática para acompanhar suas próprias transformações. O gajo se cuida muito, como todos sabem, e é uma verdadeira máquina e referência de condição física, mas já tem 32 anos. A idade, querendo ou não, vai pesando e chega para todos, até para os que se cuidam muito. Não dá para esperar que CR7 tenha a explosão e a velocidade de antes e atue aberto pelo lado esquerdo, jogando no mesmo estilo do início da carreira até alguns anos atrás.

A mudança é totalmente natural e tem dado certo, até porque aproveita algumas das principais e melhores qualidades do português: a finalização certeira, o faro de gol, o posicionamento e a vocação, paixão e até necessidade de marcar gols e querer quebrar recordes e ter números incríveis. Cristiano Ronaldo, afinal, principalmente após amadurecer no Manchester United e chegar ao Real Madrid, deixando de ser aquele garoto driblador e apaixonado pelas firulas do início da carreira, sempre foi vertical e quis o gol. A transformação é clara e, até aqui, tem funcionado muito bem.