Novak Djokovic vence Rafael Nadal em jogo épico e vai à final de Roland Garros

·2 minuto de leitura
PARIS, FRANCE June 11.   Novak Djokovic of Serbia celebrates his victory against Rafael Nadal of Spain on Court Philippe-Chatrier during the semi finals of the singles competition at the 2021 French Open Tennis Tournament at Roland Garros on June 11th 2021 in Paris, France. (Photo by Tim Clayton/Corbis via Getty Images)
Djokovic comemora a vitória contra Nadal (Tim Clayton/Corbis via Getty Images)

O tenista sérvio Novak Djokovic, número 1 do mundo, venceu o espanhol Rafael Nadal, número 3 e 13 vezes campeão de Roland Garros, nesta sexta-feira em uma partida espetacular nas semifinais do torneio parisiense do Grand Slam.

 'Djoko', que derrotou o maiorquino por 3-6, 6-3, 7-6 (7/4) e 6-2, em 4 horas e 11 minutos de jogo, buscará seu segundo título no saibro da capital francesa no domingo contra o grego Stefanos Tsitsipas (N.5).

Leia também:

 Depois de sua terceira derrota em toda sua carreira em Roland Garros, Nadal permanece com 20 'majors' em seu currículo, o mesmo número do suíço Roger Federer, e dois a mais que Djokovic que tem agora a chance de ficar mais perto dos dois rivais.

 "Foi um privilégio enfrentar o Rafa em uma partida tão incrível", disse Djokovic após a partida épica. "Esta noite foi a minha maior partida em Paris", acrescentou.

 Foi sua segunda vitória em oito encontros em Paris com Nadal, sequência que também incluiu três derrotas em finais.

 Emoção, maestria, equilíbrio, intensidade... o duelo entre os dois gigantes não decepcionou as expectativas dos torcedores, que, graças a uma autorização especial das autoridades governamentais, puderam assistir ao jogo até o fim, apesar do toque de recolher em vigor na França a partir das 23h00 locais.

 "No final, claro, se você vencer o terceiro set, pode-se dizer que é a chave, porque o panorama muda, mas não sou fã de falar das partidas em termos de um ponto", explicou o espanhol em coletiva de imprensa logo após o fim da partida.

 Nadal chegou a fazer 5-0 no primeiro set, o que parecia indicar uma partida rápida e plácida como foi a final de 2020 contra o mesmo adversário. Mas o roteiro não demorou a passar por uma reviravolta.

 "Não consegui fazer a diferença como em outras vezes, em alguns momentos a minha bola não causava danos", reconheceu. "É preciso dar crédito a ele, dar os parabéns, sei que posso jogar melhor nesta quadra", acrescentou.

 Djokovic, que se classificou para sua sexta final do Grand Slam parisiense, pode se tornar, em caso de vitória na final no domingo, o primeiro tenista em mais de 50 anos a vencer todos os quatro Grand Slams ao menos em duas ocasiões.

 iga/psr/psr/aam