Nova Era no Flamengo: saiba como é o perfil de Paulo Sousa na relação com os jogadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Paulo Sousa chegou ao Rio de Janeiro nesta sexta, com grande parte de sua comissão técnica, e trouxe na bagagem um misto de expectativas acerca de seu trabalho, já que demonstra estar no perfil ofensivo buscado pelo Flamengo, porém carrega um certo ceticismo por não ser tão conhecido no Brasil.

O LANCE! aproveita as primeiras horas de Paulo Sousa no país, às vésperas de se apresentar ao elenco principal, para trazer detalhes acerca do perfil do técnico na relação com os atletas. Confira abaixo:

RELAÇÃO COM LEWANDOWSKI

Jogador mais badalado comandado por Paulo Sousa, Robert Lewandowski, eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa na temporada passada, ficou por quase um ano ao longo de 11 jogos (e 11 gols) com o português na seleção polonesa. Eles trocaram elogios.

- Ele sabe que com a seleção nacional precisa fazer quatro, cinco, seis vezes mais do que no Bayern. Empurrando o tempo todo, marcando gols, interações com outras pessoas. Quando temos a qualidade de Robert em campo, tudo pode acontecer a nosso favor - disse Paulo Sousa, em setembro.

Anteriormente, Lewandowski, que ficou "chocado" com a saída de Sousa às vésperas da repescagem das Eliminatórias, segundo relatou a assessoria de imprensa do centroavante, elogiou o técnico em público:

- Fiquei com uma impressão muito boa. Ele (Paulo Sousa) tem carisma e boas ideias. Espero que a gente faça uma boa Eurocopa.

Paulo Sousa e Lewandowski
Paulo Sousa e Lewandowski

Lewandowski lamentou bastante a saída de Paulo Sousa da seleção polonesa (Foto: Reprodução/Twitter Paulo Sousa)

VISÃO DE JORNALISTAS PORTUGUESES

Paulo Sousa, "ofensivista", é conhecido por ser um aficionado pela tática do jogo e exige que os seus jogadores estejam antenados quanto às suas variações, tanto que já solicitou um telão para o Ninho do Urubu, além de ser adepto das conversas individuais com os atletas dentro dos CTs, seja no gramado ou na sala da comissão técnica.

Diferente de seu antecessor (Renato Gaúcho), não possui um estilo "boleiro" ou "paizão", ou seja, não faz questão de se inteirar com a linguagem atual dos atletas nas resenhas informais ou se encontrar com eles fora do ambiente de trabalho. Ao LANCE!, jornalistas portugueses sublinharam o seguinte:

- Curta distância com os jogadores no plano relacional. Mas, por ter sido jogador profissional, compreender muito bem as necessidades em relação ao treino e ao trabalho que é o mais importante, ele é muito meticuloso e procura ajudar individualmente os jogadores. Se são amigos e vão sair para jantar, acho que isso também interessa pouco. Não é por aí. Paulo Sousa podemos dizer que é um bocado frio, mas isso, na minha opinião, abona em favor dele - disse André Veloso, do jornal "OJOGO".

- Sendo uma pessoa mais reservada e muito educada, mantém uma relação relativamente próxima dos jogadores - sintetizou Fernando Urbano, do jornal português "A Bola", também em contato recente com a nossa reportagem.

Paulo Sousa, Marcos Braz e Bruno Spindel
Paulo Sousa, Marcos Braz e Bruno Spindel

Paulo Sousa já conheceu as instalações do Ninho do Urubu (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

CHOQUE DE ORDEM POR SUCESSO

Detalhistas em suas atividades táticas, Paulo Sousa tem como característica paralisar os treinos com frequência. Além disso, em seu início de carreira, já protagonizou um choque de ordem quando comandou o Basel, da Suíça, em 2014: estabeleceu normas rígidas quanto à alimentação e sono, por exemplo.

- Eu inicialmente procuro me adaptar, conhecer a cultura do clube, da cidade. Tanto eu quanto meu estafe vamos nos adaptando e, pouco a pouco, introduzindo situações que me parecem que são importantes - falou Sousa, à época.

No Queens Park Rangers, da Inglaterra, também bateu de frente e externou a sua insatisfação com interferências internas do Flavio Briatore, histórico dirigente de Fórmula 1 e que era sócio-proprietário do clube. Sousa confiou em suas convicções e assegurou que o elenco tinha comprado a sua "briga".

'FICAMOS IMPRESSIONADOS'

A expectativa do Flamengo, que buscava (e encontrou) uma robusta comissão técnica para 2022 com o propósito de homogeneizar e potencializar o talento do elenco, é otimista:

- Ele (Paulo Sousa) deixou muito claro o DNA de sempre buscar a vitória. Ficamos impressionados com o nível de detalhe que ele tinha do Flamengo e dos nossos jogadores. Reforçou demais nossas ideias. Estamos muito convictos e otimistas que será um novo ano de conquistas - falou Bruno Spindel, diretor executivo de futebol do Flamengo, à "FlaTV".

Junto à sua comissão técnica, Paulo Sousa iniciará os trabalhos com o grupo principal no dia 10 de janeiro, quando também dará a sua primeira entrevista coletiva como técnico do Flamengo (às 13h).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos