Ex-ginasta faz nova denúncia contra Ângelo Assumpção por homofobia e tortura psicológica

·3 minuto de leitura
Essa é a segunda acusação contra Ângelo Assumpção em menos de uma semana
Essa é a segunda acusação contra Ângelo Assumpção em menos de uma semana

Mais uma denúncia de homofobia e tortura psicológica cometidos por Ângelo Assumpção ganhou as redes sociais nesta terça-feira (27). Dessa vez, o ex-atleta Vinícius Augusto publicou no seu Twitter e Instagram detalhes da convivência entre os dois quando treinavam no Esporte Clube Pinheiros, inclusive com vídeo de um dos momentos de bullying.

Primeiro, Gabriel Alves, de 17 anos e ainda atleta do Pinheiros, se manifestou. Ângelo, por meio de nota, negou as acusações ao portal ge.

Leia também:

Mas foi justamente por ver o relato de Gabriel que Vinícius resolveu falar sobre o assunto. Ele conta que os dois tiveram uma convivência muito boa em 2015 e 2016. Tudo mudou quando os dois precisaram dividir um apartamento — e aí vieram os episódios de tortura psicológica e homofobia, segundo Vinícius.

No vídeo acima, Vinícius sai do armário após ter sido preso por Ângelo, que abre a porta e dá um tapa no ex-atleta e o chama de "viado". 

"Que eu me lembre a pior foi a vez que por conta de uma “brincadeira” que ele fazia comigo, eu tinha que fazer “favores” para ele, como lavar e estender as roupas DELE, lavar a louça ELE e muitas outras coisas pessoais. Tudo isso porque ele me emprestou um fone de ouvido, e um lado do fone parou de funcionar", escreveu Vinícius.

Justamente por causa desses "favores", Ângelo começou a fazer represálias a Vinícius, com constantes ameaças de que o deixaria fora do quarto, segundo o ex-atleta. E isso aconteceu em uma das oportunidades, quando Vinícius não atendeu a um dos pedidos de Ângelo — deixar de falar com seu melhor amigo. Contrariado, Assumpção trancou o quarto e foi embora. Vinícius contou com a caridade de um amigo para ter onde dormir e comer. 

"Naquele momento eu estava no meu limite, esgotado de todas as coisas que já tinha passado calado, não tinha o que comer, sem minha carteirinha do clube não tinha como ir ao clube pra fazer as refeições, e sem cartão e dinheiro não tinha como comprar comida!", contou Vinícius.

"Sobre o posicionamento dele, fica muito claro que muitas coisas ditas ali, não são verdade, como por exemplo “ter um bom relacionamento com os atletas”, isso fica bem claro que é mentira , quando você vê o número de ginastas que esteve ao seu lado quando tudo isso aconteceu!", continuou Vinícius. 

Acusações contra Ângelo Assumpção surgem na mesma medida em que se fala do episódio de racismo praticado pelo também ginasta Arthur Nory, em 2015, e voltaram à tona quando Nory competiu nas Olimpíadas de Tóquio. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos