Nova comissão técnica do Corinthians conta com ex-treinadores do Atlético-MG; veja o perfil


Pouco mais de uma semana antes da reapresentação do Corinthians, que acontece no dia 14 de dezembro, o clube divulgou os nomes que integrarão a comissão técnica do treinador Fernando Lázaro, anunciado como o substituto de Vítor Pereira para a temporada 2023.

Entre estes, estão os auxiliares Thiago Larghi e Rodrigo Santana, além do preparador físico Flávio de Oliveira. Desta lista, Thiago Larghi e Flávio de Oliveira já tiveram passagens pelo Timão. Rodrigo Santana, por sua vez, foi técnico do Atlético-MG. Veja abaixo o perfil de cada membro da comissão técnica de Fernando Lázaro.


Arrascaeta citado: jornal espanhol lista destaques entre eliminados da Copa que ganharam “novo patamar” no mercado

Veja tabela da Copa do Mundo e simule os próximos jogos


THIAGO LARGHI

Auxiliar técnico, como dito anteriormente, esta será sua segunda passagem pelo Timão. Larghi é formado em educação física e conta com as Licenças Pro da CBF Academy e B da UEFA.

Iniciou sua carreira profissional como analista de desempenho no Botafogo, em 2011. Em 2013, recebeu um convite de Carlos Alberto Parreira para se juntar à equipe de Luiz Felipe Scolari, na Seleção Brasileira, e assim, participou da Copa do Mundo de 2014.

Após este período, passou por um estágio no Bayern de Munique - sob o comando de Pep Guardiola. Neste estágio, teve a oportunidade de acompanhar de perto e ter um contato direto com o trabalho de um dos maiores técnicos do mundo.

Em 2016, teve passagens pelo Sport, na equipe de Oswaldo de Oliveira, e, finalmente, foi para o Corinthians. Entretanto, seu trabalho no Timão não durou muito.

Sua maior experiência foi, de fato, no Atlético-MG. No Galo, se uniu novamente a Oswaldo de Oliveira, como auxiliar - em setembro de 2017. Em fevereiro de 2018, após a demissão de Oswaldo, assumiu o cargo de técnico interino do clube mineiro. Em junho, foi efetivado.

Ao todo, comandou o time por 31 jogos. Destes, foram 13 vitórias, oito empates e dez derrotas. Quanto ao sistema, o que mais costumava utilizar era o ‘4-2-3-1’. Inclusive, trabalhou com Róger Guedes - artilheiro do Corinthians nesta temporada. Larghi costumava utilizar o jogador como um segundo atacante. Entretanto, uma polêmica envolvendo os dois surgiu na época.

Em março de 2018, Róger Guedes foi substituído aos 13 minutos do segundo tempo, em uma partida com o Figueirense. Ao deixar o campo, o jogador reclamou de ter sido sacado pelo terceiro jogo seguido. Na coletiva de imprensa, Thiago Larghi chegou a explicar a situação e afirmou estar tudo resolvido.

- De fato, ele não gostou (da substituição), mas a gente já conversou e ficou acertado. Foram circunstâncias do jogo, técnicas. O treinador está ali para tomar decisão. Não foi nada especial. Esses jogadores nossos de lado, geralmente, se vocês observarem, a gente acaba trocando os três, porque se envolvem muito em atacar e defender. Esse que foi o motivo - explicou.

Larghi deixou o clube em outubro de 2017, dando espaço para Levir Culpi. Em agosto de 2020, foi contratado pelo Goiás e demitido 38 dias depois que assumiu o cargo. Pelo Esmeraldino, foram seis jogos, com uma vitória apenas, duas derrotas e três empates.

Thiago Larghi
Thiago Larghi

Thiago Larghi polemizou com Róger Guedes no Galo (Divulgação)

Rodrigo Santana

Já Rodrigo Santana começou como jogador. Agora auxiliar do Corinthians, aos oito anos entrou para Associação Atlética Portuários de Santos. Como atleta profissional, atuou em equipes como Confiança-SE e Ferroviário-CE. Encerrou sua carreira como esportista na Hungria, pelo Ferencvárosi Torna Club, após uma fratura na mão.

Como treinador, começou em 2010, pelo Camboriú. Em 2011, passou pelo Pinheiros-SC. No ano seguinte, pela Portuguesa Santista e União Suzano. Mas um dos maiores trabalhos que fez foi na Juventus-SP, quando garantiu o acesso da equipe da série A-3 para A-2 do Campeonato Paulista, em 2014 também.

Em 2017, foi para Minas Gerais. Lá, treinou o Uberaba Sport Club e o URT de Patos de Minas - equipe na qual ganhou o prêmio de melhor treinador do interior e quase garantiu o acesso do time na série C do Campeonato Brasileiro.

Em 2018, chegou ao Atlético-MG como coordenador técnico das categorias de base e cuidou também da equipe Sub-20. No ano seguinte, começou como interino do profissional e foi efetivado - assim como Thiago Larghi.

Pelo clube mineiro, comandou 35 jogos, com 15 vitórias, cinco empates e 15 derrotas. Mas, sem dúvidas, o maior feito foi eliminar o Santos no Pacaembu, nas oitavas de final da Copa do Brasil em 2019.

Após 180 dias, se despediu. Em 2020, teve curtas passagens pelo Coritiba e pelo Avaí. Pelo Coxa, foram seis jogos - sem nenhuma vitória. Pelo Leão da Ilha, apenas cinco. O último trabalho de Rodrigo Santana como técnico foi no Confiança, mas também não agradou. Ao todo, foram 14 jogos, com duas vitórias, quatro empates e oito derrotas.

Flávio de Oliveira

Flávio de Oliveira é um velho conhecido do Corinthians. O LANCE! já havia adiantado que seu retorno estava nos planos da diretoria. O profissional deixou o clube no começo do ano passado, antes da chegada de Vítor Pereira.

Ainda Segundo o L! também apurou, uma parte do clube queria a volta do Fábio Mahseredjian, preparador físico da Seleção Brasileiro e ex-Corinthians - inclusive, contatos foram feitos.

Fábio Mahseredjian saiu do Timão justamente para integrar parte da comissão brasileira em 2016. Entretanto, parte da diretoria tem uma mágoa com o profissional porque em 2016, quando Tite o convidou para a Seleção, haviam somente dois amistosos até o fim da temporada. Isso teria gerado uma mal-estar com membros da diretoria.

A primeira passagem do preparador físico no clube foi entre 2008 e 2009, no comando de Mano Menezes. Em 2020, retornou com Vagner Mancini e trabalhou com Sylvinho, e agora na comissão de Fernando Lázaro.

Flávio de Oliveira chamou interesse do Timão, lá na sua primeira passagem, devido o trabalho que havia prestado ao Grêmio. Também passou por clubes grandes como Vasco, Fortaleza, Cruzeiro e Ceará. Em maio deste ano, migrou para o Internacional.

Mas a relação de Flávio de Oliveira com o ex-técnico do Corinthians, Vítor Pereira, não era das melhores. Além da chegada do português ter culminado sua demissão, VP chegou a criticar a condição física de alguns jogadores no começo da temporada.