Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a quinta

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Edilma Santos de Oliveira, 40, who said both her mother and husband died of COVID-19, cries over their graves at the Penitencia cemetery on Day of the Dead in Rio de Janeiro, Brazil, Monday, Nov. 2, 2020. Brazil has confirmed more than 160,000 deaths from the virus, the second-highest in the world, behind only the U.S. (AP Photo/Bruna Prado)
Edilma Santos de Oliveira, de 40 anos, visita mãe e esposo que faleceram de Covid-19 no Rio de Janeiro (AP Photo/Bruna Prado)

Covid-19: Brasil registra 756 mortes em 24 horas, Covid-19: Vacina da Pfizer tem 95% de eficácia, Ibama facilitou exportação de madeira ilegal, Ibope SP: Covas tem 47% e Boulos 35%, governo diz que Amapá retomou 80% de energia, Bolsonaro volta a ofender vítimas de Covid ao exaltar ruralistas e Enxaguantes bucais podem matar coronavírus em 30 segundos.

Confira o que você precisa saber para começar a quinta-feira, dia 19 de novembro de 2020:

Covid-19: Brasil registra 756 mortes em 24 horas

O Brasil registrou 756 novas mortes pelo novo coronavírus e 34.091 novos casos da doença nesta quarta (18). Com isso, o total de mortos chegou a 167.455 e o de casos a 5.945.849, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Covid-19: Vacina da Pfizer tem 95% de eficácia

A vacina contra o coronavírus produzida pela Pfizer em parceria com a BioNTech mostrou ter 95% de eficácia. Segundo o anúncio, foi feito nesta quarta-feira, 18, a imunização mostra ser efetiva 29 dias após a primeira dose. O estudo também mostrou que, entre os idosos, mais afetados pela Covid-19, a eficácia da vacina é de 94%. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Ibama facilitou exportação de madeira ilegal

Durante uma reunião do Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que divulgará uma lista de países que compram madeira ilegalmente extraída do Brasil, deixando claro que entre eles estariam críticos da política ambiental adotada por sua gestão. Contudo, de acordo com o portal G1, Greenpeace Brasil, Instituto Socioambiental e Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente entraram na Justiça em junho contra uma decisão tomada pelo presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Bim, que flexibilizou normas para a exportação de madeira brasileira. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Ibope SP: Covas tem 47% e Boulos 35%

Em pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (18) sobre o 2º turno das eleições em São Paulo, o atual candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), aparece com 47% das intenções de voto. Seu adversário Guilherme Boulos (PSOL) tem 35%, de acordo com o levantamento. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Amapá retomou 80% de energia, diz governo

A capacidade de fornecimento de energia no Amapá foi retomada em 80% até a manhã desta quarta-feira, depois de blecautes que deixaram o Estado novamente no escuro na noite da véspera e vieram enquanto a região ainda se recuperava de um apagão anterior, iniciado em 3 de novembro. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro volta a ofender vítimas de Covid ao exaltar ruralistas

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a ofender as vítimas do coronavírus. Em um evento em Goiás, ele afirmou que o trabalhador rural continuou trabalhando durante a pandemia e não foi “frouxo”. A fala foi baseada em um provérbio bíblico. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Enxaguantes bucais podem matar coronavírus em 30 segundos, diz pesquisa

Enxaguantes bucais matam o coronavírus em 30 segundos em laboratório, revela um novo estudo realizado por cientistas da Universidade de Cardiff, no Reino Unido. Segundo os pesquisadores, há "sinais promissores" de que os bochechos poderiam ajudar a destruir o vírus. Mas isso não quer dizer que o uso do produto possa ser utilizado como tratamento para a Covid-19. LEIA A MATÉRIA COMPLETA