Notícias da semana - As manchetes que repercutiram no Brasil e no mundo

Luciana Pioto
·3 minuto de leitura

Às vésperas do Dia da Consciência Negra, comemorada em diversas cidades do país no 20 de novembro, João Alberto Silveira Freitas, um homem negro de 40 anos, foi espancado e assassinado por dois seguranças de uma unidade do Carrefour em Porto Alegre.

As circunstâncias ainda não foram esclarecidas e as versões divergem. A dupla de agressores já foi presa em flagrante e será indiciada por homicídio triplamente qualificado. O laudo inicial da perícia apontou que a provável causa da morte de João Alberto foi asfixia.

Em um infeliz pronunciamento, o vice-presidente, Hamilton Mourão, negou que exista racismo no Brasil. Ainda na tarde e noite de sexta, protestos pelo país pediram justiça e uma loja do Carrefour em São Paulo chegou a ser invadida e depredada.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS EM MEIO À PANDEMIA DE COVID-19

Apesar da pandemia do novo coronavírus, no último domingo (15), milhões de brasileiros foram às urnas para eleger os prefeitos e vereadores em mais de 5 mil municípios. Apesar de ser um dos sistemas mais modernos e seguros do mundo, o sistema de contabilização dos votos pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) apresentou instabilidade e os resultados só foram consolidados horas depois do que o brasileiro já estava acostumado.

A lentidão na apuração, segundo o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, ocorreu porque este foi o primeiro ano em que a corte ficou responsável por totalizar os votos de todo o país, o que antes era feito pelos tribunais regionais eleitorais.

Além disso, o TSE acompanha uma investigação da Polícia Federal sobre ataques hacker sofridos pela corte exatamente no mesmo dia e que resultaram na divulgação de informações antigas sobre servidores.

O ministro, que atribuiu a ação às milícias digitais e grupos extremistas, alegou que o dados foram vazados justamente no domingo da eleição “para causar impacto e a sensação de fragilidade do sistema”. Barroso ressaltou que, apesar da instabilidade e da tentativa de invasão, não houve alteração no resultado das urnas.

2ª ONDA? NÚMEROS DA COVID VOLTAM A ASSUSTAR NO BRASIL E NO MUNDO

O Brasil acompanha a situação da pandemia do novo coronavírus na Europa e nos Estados Unidos, onde já há indícios concretos de uma segunda onda da doença.

Em São Paulo, o crescimento nos números fez com as gestões Doria e Covas anunciassem medidas pontuais. A cautela nas ações ocorre junto ao cenário de incerteza na leitura dos dados após uma pane no sistema do governo federal.

Tanto a capital quanto o estado apresentaram, nos últimos dias, aumento nos indicadores de controle da doença. Apesar do crescimento, as autoridades do município e do governo negam que seja o início de uma segunda onda e alegam que a oscilação positiva é resultado de um conjunto de fatores.

PRIMEIRAS DOSES DA CORONAVAC CHEGAM AO BRASIL

Chegaram a São Paulo, na manhã de quinta-feira (19), as primeiras 120 mil doses da vacina Coronavac, produzida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

As doses chegaram de avião no Aeroporto Internacional de Guarulhos e foram recebidas pelo governador João Doria, pelo secretário de saúde, Jean Gorinchtey, e pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

A vacina, que está em fase final de testes clínicos após a paralisação temporária determinada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitári), produziu anticorpos em 97% dos voluntários. No entanto, ainda é alvo de disputa política entre Doria e o presidente Jair Bolsonaro.

SÃO PAULO ELIMINA FLAMENGO DA COPA DO BRASIL

O São Paulo despachou o Flamengo ao vencer, por 3 a 0 no jogo da volta das quartas-de-final, e se classificou às semifinais da Copa do Brasil. Agora, o tricolor paulista enfrenta o Grêmio, que venceu o Cuiabá. Do outro lado da chave, Palmeiras — que eliminou o Ceará — terá pela frente o América (MG), que passou nos pênaltis pelo Internacional.