Nos pênaltis, Paraná supera o ASA e avança na Copa do Brasil

Daniel Piva
No tempo normal os times empataram por 0 a 0. Nos pênaltis, o Tricolor venceu por 4 a 1.

Foi sofrido! Após um novo empate por 0 a 0, Paraná e ASA decidiram a vaga para a Quarta Fase da Copa do Brasil nas penalidades máximas. Assim, melhor para o time paranaense, que venceu por 4 a 1 e se classificou na noite desta quarta-feira, na Vila Capanema.

O JOGO

O Paraná começou o jogo pressionando. Nos minutos iniciais, Renatinho deixou Pedro na cara do gol, mas foi assinalada posição irregular do centroavante. Aos sete, foi Biteco quem tocou boa bola para Robson, que arrematou e exigiu grande defesa do goleiro Cetin, do ASA.

Mas após essa pressão inicial, o Paraná passou a ter muitas dificuldades. Além de não conseguir superar a marcação, o Tricolor viu o ASA começar a se soltar na partida. Airton e Tessio levaram muito perigo contra a meta do goleiro Léo, da equipe paranaense.

No intervalo do jogo, os jogadores paranistas reconheceram que estavam encontrando dificuldades para jogar:

- A gente sabia que o jogo seria complicado. Não adianta ir todo mundo para o ataque em busca do gol. Tem que ter paciência e cuidar, pois se sofrermos um teremos que virar o jogo - alertou o zagueiro Airton.

No início da etapa final as melhores chances do Paraná foram em lances de bola parada. Aos seis, Guilherme Biteco cobrou uma falta da entrada da área e exigiu boa defesa do goleiro Cetin. Aos sete, após cobrança de escanteio, o zagueiro Airton desviou de cabeça e assustou.

O Paraná seguiu esboçando uma pressão, mas com dificuldades para finalizar. Em um dos chutes de fora da área, a bola explodiu no braço do zagueiro do ASA dentro da grande área. Pênalti marcado, mas desperdiçado. Na cobrança, o capitão Eduardo Brock bateu firme, mas mandou pela linha de fundo.

Com a bola rolando, umas das poucas boas jogadas do Paraná ocorreu aos 31 minutos, quando Nathan serviu Renatinho, que bateu de dentro da área, mas o arremate saiu pela linha de fundo. Já aos 37 foi o atacante Felipe Alves quem tirou tinta da trave defendida pelo goleiro Cetin, do ASA.

Como o time alagoano pouco se aventurou no sistema ofensivo na reta final, o jogo se encaminhou para a disputa por pênaltis, já que em Arapiraca o duelo também ficou no 0 a 0.

Nas penalidades máximas, o Paraná levou a melhor. Robson, Diego Tavares, Leandro Vilela e Eduardo Brock converteram as cobranças, enquanto Aírton e Djalma, do ASA, desperdiçaram. Assim, deu 4 a 1 para o Tricolor, que pega o Vitória na Quarta Fase da Copa do Brasil.






















E MAIS: