Nos últimos dia de Seleção em SP, fãs se hospedam em hotel apenas para ver Neymar

·4 min de leitura


"Temos que manter a chama do amor viva, pois ele precisa ser alimentado", com essa frase a jovem Nayra, de 21 anos, justificou o motivo dela e mais duas amigas, Thainá, de 22, e Thaís, 24, se hospedarem no hotel em que a Seleção Brasileira esteve durante o período em que ficou em São Paulo.

A ideia partiu de Nayra, que convocou as outras duas amigas. No dia da apresentação da Seleção no hotel, em Guarulhos, na Grande São Paulo, ela foi com outras fãs do atacante da Seleção ao local, mas não puderam entrar. De lá, elas foram até o CT Joaquim Grava, onde o Brasil fez a sua preparação para o jogo contra a Colômbia, que aconteceu na última quinta-feira (11) e conseguiram breves acenos do ídolo e também do zagueiro Marquinhos.

- Não quis me contentar só com aquilo (acenos), aí eu falei para as meninas que iria me hospedar no hote e se elas topavam. Começamos a pesquisas, no site não estávamos encontrando, ligamos no próprio hotel e conseguimos. Calhou o feriado e viemos, porque não trabalhamos - contou Nayra.

Torcedora do Corinthians, Nayra nunca se importou com o quanto Neymar fez o seu time sofrer enquanto jogava no Santos, mas sempre valorizou o profissional que ele é e, posteriormente, o restante da vida pessoal do atleta, dentro do que acompanhava pelas redes sociais.

- Eu sou amante do futebol, jogo bola, e para mim é muito gratificante assistir essa galera que é boa de bola. Gosto muito, independentemente de jogar no meu time. Aí esse menino (Neymar) comelou a jogar muito levar umas pancadas. Aqui ele levava umas pancadas, levantava, driblava os 11 (adversários) e fazia o gol se deixassem, mas na Europa a situação é mais diferente. Aí eu comecei a admirar ele primeiro profissionalmente, mas quando a gente começa a se apaixonar pelo profissional, começa a acompanhar e ver como a pessoa é com a família, amigos, todo mundo, e o Neymar é bom filho, bom amigo, bom pai, bom ídolo - comentou Nayra.

Já Thainá e Thais são torcedoras do Santos e o amor por Neymar foi ao primeiro gol.

- Acompanhamos ele desde o primeiro jogo, primeiro gol - disse a dupla.

Durante uma década acompanhando Neymar elas já o encontraram em algumas ocasiões, mas permanecem sempre na cola do jogador a fim de acompanhar a evolução do camisa 10 do Paris-Saint Germán-FRA e Seleção Brasileira.

Saga no hotel

Nayra, Thaís e Thainá ficheram check-in no hotel às 12h de domingo (14) e permaneceram até 12h da segunda-feira (15). Elas prepararam um presente para entregar para Neymar e conseguiram ter contato com o atleta logo no primeiro dia de hospedagem, antes da delegação partir para o CT do Palmeiras para o penúltimo treinamento antes do jogo contra a Argentina, pelas Eliminatórias, mas foram ofuscadas por outros hóspedes que também quiseram um registro com o craque brasileiro.

- Conseguimos ver ele (Neymar). Acredito que ele tenha voltado por causa da gente, porque ele ia passar reto, aí pedimos para ele pegar o presente. Demos uma sacola com chocolates e a pelúcia de um emoji que ele gosta bastante e tem tatuado. Quando ele voltou, veio direto na gente, mas também falou com outros hóspedes. Mas eles são hóspedes, a gente é fã, é diferente - contaram as garotas.

Ainda que tenham entregue os presentes e feito um registro, elas queriam ter um tempo melhor aproveitado com o ídolo, e acordaram por volta das 5h da manhã pra pegar a saída dos jogadores para o último treinamento antes do jogo contra a Argentina, que acontece nesta terça-feira (16), às 20h30, pela 14ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, na cidade de San Juan.

As garotas eram as únicas esperando a delegação brasileira na manhã desta segunda-feira (15), mas os atletas saíram atrasados e não conseguiram parar. Ainda assim, de longe, deu tempo de Neymar brincar com o trio.

- Hoje de manhã eles (jogadores) saíram atrasados e não conseguiram parar, porque se não eles parariam. Edenílson passou tomando café, Paquetá com pão na boca. Aí o Neymar, de longe, perguntou se a gente não dormia. Disse que a gente dorme quando eles não esta aqui - contou Nayra.

Segundo as meninas, o atacante disse que passaria na saída para o aeroporto. No entanto, com um incômodo na coxa esquerda, o atleta foi preservado da viagem para a Argentina e não embarcou com o grupo no ônibus para o aeroporto, tendo deixado o hotel em outra saída em um veículo particular.

- Triste pela notícia. Ontem ele estava radiante. Mas com fé que mais uma vez vai passar - disse Nayra, por mensagem, à reportagem após descobrir sobre a lesão do craque brasileiro.

A saga de Nayra, Tahiná e Thaís custou, no total, mais de R$ 1 mil, sendo R$ 800 apenas para 24 horas de hospedagem no mesmo local que recebia a Seleção Brasileira.

Ainda assim, as três garotas não deixaram o hotel frustrada, mas com a certeza que amor pelo ídolo foi mais uma vez alimentado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos