Noriega questiona doação de vacinas à Conmebol: 'Não vejo o jogador de futebol como prioridade'

LANCE!
·2 minuto de leitura


Maurício Noriega, comentarista do Grupo Globo, criticou o recebimento de vacinas por parte da Conmebol. Nesta terça-feira, a entidade confirmou que receberá 50 mil doses por parte da empresa chinesa Sinovac. Assim, atletas de competições sul-americanas tornam-se prioridade na fila de espera da Covid-19.
+ Confira a classificação do Campeonato Paulista

- Essa decisão de doar vacina para Conmebol é algo muito polêmico na minha visão. Qual é a razão que se faz doação para essa entidade e não se faz para os governos dos países que disputam as competições do Conmebol? Por que que o jogador de futebol é mais importante que qualquer outro trabalhador? Infelizmente isso vai acontecer cada vez por conta da omissão dos governos, a falta de ação dos governos pela busca pelas vacinas, no incentivo à pesquisa - ponderou Noriega

O comentarista ainda levantou dúvidas sobre a necessidade de prioridade à atletas da Conmebol diante do cenário pandêmico nos países sul-americanos.

- Acho lamentável que isso esteja acontecendo. Não vejo o jogador de futebol como prioridade alguma e me causa muita estranheza uma doação a uma entidade que controla o esporte, e não para um governo que possa distribuir para grupos prioritários dentro da sociedade. É uma notícia assustadora - lamentou

Em contrapartida, o presidente da entidade, Alejandro Dominguez, afirmou que a chegada de vacinas é essencial para a continuidade do futebol no continente e um grande passo para o combate da pandemia.

- É a melhor notícia que a família do futebol sul-americano pode receber, à qual devemos nossos melhores esforços na Conmebol. Este é um grande passo para derrotar a pandemia covid-19, mas de forma alguma significa que estamos baixando a guarda. Vamos manter o nosso trabalho responsável, que nos permitiu concluir os nossos torneios com tranquilidade e sem alterar os formatos - concluiu Dominguez.