Noriega critica ausência de ex-jogadores em velório de Pelé e fala em 'soberba' e 'falta de empatia'

Maurício Noriega escreveu texto sobre ausência de ex-jogadores em velório de Pelé (Reprodução/SporTV)


O jornalista Maurício Noriega escreveu um texto, publicado no "Ge", intitulado "Ausências que não nos representam". Na publicação, ele discorre sobre a ausência de jogadores tetracampeões e pentacampeões mundiais com a Seleção Brasileira no velório de Pelé, uma "decepção" na sua opinião.

- A ausência quase completa de representantes dos campeões mundiais de 1994 e 2002 na despedida ao Rei Pelé foi uma decepção - escreveu.

+ Pedrinho dispara contra Milly Lacombe: relembre outras tretas no jornalismo esportivo

Ao longo da publicação, Noriega diz que entende o fato de alguns jogadores não poderem ou não quererem comparecer ao velório, mas acredita que deveriam ter se organizado para ao menos enviar algum representante. O jornalista destaca que Mauro Silva, campeão em 1994, foi o único atleta de um dos dois elencos presente na cerimônia.

Na reta final do texto, o jornalista escreve palavras fortes sobre a ausência de jogadores e treinadores ao citar "falta de empatia" e "soberba".

- A ausência quase total dos tetra e dos pentacampeões escancara alguns fatos: a desunião da categoria jogador de futebol brasileiro, a falta de empatia e a soberba (termo muito bem pinçado por meu amigo Milton Leite na transmissão do velório do Rei pelo 'SporTV') de alguns. Poucos treinadores também foram à despedida. Outra decepção - opinou.

+ Apresentadora da ESPN cobra ídolos do futebol por ausência no velório de Pelé: 'Cadê a Marta?'

Maurício Noriega não foi o primeiro jornalista a criticar a ausência de ex-jogadores no velório de Pelé. O tema tomou conta das redes sociais nessa terça-feira. Ex-atletas como Marcos, Cafu e Rivaldo chegaram a escrever declarações justificando o não-comparecimento.