Nokia pretende cortar até 10 mil empregos para investir no 5G

Redação Finanças
·1 minuto de leitura
UKRAINE - 2021/02/05: In this photo illustration a Nokia logo is seen in front of a silhouette hand holding a mobile phone. (Photo Illustration by Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
UKRAINE - 2021/02/05: In this photo illustration a Nokia logo is seen in front of a silhouette hand holding a mobile phone. (Photo Illustration by Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

A fabricante de eletrônicos Nokia anunciou nesta terça-feira (16) que planeja cortar até 10 mil empregos nos próximos dois anos. A ideia é reduzir os custos da companhia e focar em novos investimentos em pesquisa e tecnologias, como o 5G.

A expectativa da empresa finlandesa de telecomunicações é fazer frente com as rivais Ericsson, da Suécia, e com a chinesa Huawei. Com essa redução, a Nokia passará a ter entre 80 mil e 85 mil funcionários. A França será um dos únicos países que ficará de fora da reestruturação, reduziu mais de mil empregos no ano passado.

Leia também:

A intenção da empresa é cortar os 600 milhões de euros em gastos (cerca de R$ 3,9 bilhões, na cotação atual) até o fim de 2023.

"A Nokia agora tem quatro grupos de negócios totalmente responsáveis. Cada um deles identificou um caminho claro para o crescimento sustentável e lucrativo e estão redefinindo suas bases de custos para investir no futuro", afirmou o presidente e CEO da Nokia, Pekka Lundmark, em referência à reorganização da empresa.

"Cada grupo de negócios terá como objetivo a liderança em tecnologia. Nas áreas em que escolhermos competir, jogaremos para vencer", completou o executivo. A principal divisão da empresa, a área móvel, deve fortalecer seus investimentos em pesquisa e desenvolvimento para o 5G e atravessar um processo de digitalização.