No Velopark, Stock Car acelera em pista de bom retrospecto para pilotos da Shell

Redação GP
Grande Prêmio

Por conta dos cancelamentos das etapas previstas para Curitiba e Tarumã, Velopark volta a aparecer no calendário da temporada 2019 da Stock Car neste fim de semana. Palco da corrida 500 que abriu o campeonato em 7 de abril, o travado e curto circuito cravado na cidade de Nova Santa Rita, região metropolitana de Porto Alegre, recebe a oitava etapa do ano e traz uma aura de otimismo aos pilotos da Shell, que ostentam bom retrospecto no traçado de apenas 2.278 m.

Para Átila Abreu, o fim de semana é especial porque marca seu reencontro com o Velopark. Foi lá que o sorocabano sofreu um forte acidente que resultou em lesões que o tiraram de combate das duas primeiras etapas do campeonato, com o #51 voltando apenas em Goiânia, em maio. Curiosamente, Átila tem um bom histórico em Nova Santa Rita, com direito a quatro pódios e uma vitória, conquistada em 2011.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Galid Osman, por sua vez, venceu pela primeira vez na Stock Car correndo no Velopark, em 2014. Ricardo Zonta alcançou um lugar no pódio no ano passado, enquanto Gaetano di Mauro, logo no seu primeiro fim de semana como piloto titular da Shell Helix Ultra, fez grande classificação e garantiu um lugar no Q3.

Galid Osman tem como objetivo voltar ao top-10 da Stock Car (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)


Por conta das suas características — duas retas curtas separando trechos mais lentos depois da reta dos boxes e da reta oposta — e da sua extensão peculiar, o Velopark é uma pista onde as diferenças são ainda mais curtas do que naturalmente de costume na competitiva Stock Car. Assim, um mínimo erro pode fazer com que um piloto perca tranquilamente entre 10 e 15 posições no grid.

Dentre os quatro pilotos da Shell na Stock Car em 2019, o melhor posicionado é Galid. 13º colocado e com 89 pontos, o dono do carro #28 regressa ao Rio Grande do Sul tendo como objetivo retomar um bom lugar entre os dez primeiros do campeonato.

“A expectativa é boa, e a nossa meta é voltar para o top-10 do campeonato, já que o furo de pneu na última etapa prejudicou bastante. Mas estamos com um carro rápido, em evolução, e foi lá onde conquistei minha primeira vitória, costumo ter bons resultados. Estou bem animado para essa segunda parte do campeonato”, disse o piloto da Shell Helix Ultra.

Ricardo Zonta ressaltou a importância da estratégia no fim de semana (Foto: José Mario Dias/Shell)


Com um shakedown e três sessões livres antes da classificação, Ricardo Zonta ressaltou a importância de se encontrar de forma rápida um bom acerto para conseguir um lugar mais à frente no grid, ponto definido como fundamental.

“O Velopark é o traçado mais curto da temporada, com duas retas e dois trechos mistos de baixa velocidade com freadas muito fortes. Exige muita técnica. O essencial é já nos primeiros treinos definirmos uma boa estratégia e, com isso, fazermos uma boa classificação para buscar as primeiras posições do grid”, comentou Zonta, 14º colocado no campeonato, com 82 pontos. O paranaense corre pela equipe Shell V-Power, chefiada por Thiago Meneghel.

Já Gaetano di Mauro, companheiro de equipe de Galid, parte para mais uma etapa na Stock Car depois de duas semanas de preparação na Itália visando a disputa do Mundial de Kart, que acontece dias depois da etapa do Velopark e terá lugar em Lonato, na Itália. Di Mauro vai correr na classe KZ1.

Átila Abreu e Gaetano di Mauro também aceleram no fim de semana no Velopark (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)


“Estou ansioso depois de um fim de semana muito bom em Interlagos e por voltar à pista onde foi meu primeiro Q3, na primeira corrida deste ano. Vou para cima e espero trazer um bom resultado de lá”, declarou o jovem de 22 anos.

Por fim, Átila falou sobre como encara o retorno ao autódromo que foi palco de um dos acidentes mais graves da sua carreira. “Voltamos ao Velopark, onde foi realizada a primeira corrida da temporada e onde sofri meu acidente. Estou louco para voltar lá, é uma das pistas que mais gosto no calendário”.

“Lembra muito uma pista de rua no estilo de pilotagem. A grande diferença será em relação ao composto da primeira etapa. No começo do ano, andamos de pneus médios, e agora vamos andar de pneus duros. Isso deixa meio igual para todos. Vamos trabalhar bastante para colher bons resultados”, completou o piloto da Shell V-Power.

Além da Stock Car, a Stock Light também acelera neste fim de semana no Velopark. Os trabalhos de pista começam na sexta-feira com a realização do shakedown e dois treinos livres. O sábado compreende mais uma sessão de treino, pela manhã, e a definição do grid de largada a partir de 13h30 (horário de Brasília). A corrida 1 da oitava etapa do campeonato está marcada para 11h de domingo, com a rodada dupla tendo seu desfecho com a largada da segunda prova, prevista para 12h02. As corridas vão contar com transmissão ao vivo pelo canal por assinatura SporTV 3.


O GRANDE PRÊMIO cobre 'in loco' a etapa do Velopark da Stock Car no fim de semana com o repórter Felipe Noronha. Siga tudo aqui.


Paddockast #32

AS PISTAS MAIS PERIGOSAS DO MUNDO


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM





Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.







Leia também