No São Paulo, Rogério Ceni é o principal responsável pelas falhas de Denis

Fernando Graziani
Rogério Ceni durante treinamento do São Paulo (Foto: Gazeta Press)

Não adianta fugir da equação. Quando há no elenco um jogador com pouca qualidade técnica ele sempre vai estar pronto pra entrar no time e as oportunidades vão aparecer. Vale para qualquer clube do mundo.

No São Paulo também e o caso de Denis é emblemático. O goleiro merece todo respeito como pessoa, por sua história e enfrentamentos de vida, capacidade de treinamento, dedicação, mas já são anos falhando e mostrando insegurança quando veste a camisa tricolor. Suas atuações comprometem resultados e campanhas quando avaliadas individualmente. A derrota para o Palmeiras por 3 a 0 foi apenas um entre tantos episódios recorrentes.

O cenário sempre foi evidente e justamente diante disso Denis é o menos culpado. Clube, que o mantém sob contrato ganhando um ótimo salário e comissão técnica, que o escala, são os principais responsáveis por cada um de seus equívocos. Rogério Ceni mais ainda.

Ao colocar Denis como titular, o técnico do São Paulo, goleiro que foi por 25 anos, coloca sua chancela direta na atuação de um profissional que repetidas vezes se mostrou incapaz tecnicamente. Cada falha de Denis é uma falha de Ceni.

Para incrementar as más decisões de Rogério, ironicamente na posição que mais conhece, ou pelo menos deveria conhecer, a contratação de Sidão não faz jus ao que o time tem necessidade. Sua imposição deveria ser pela chegada de um atleta pronto e competente, já que as categorias de base foram incapazes de formar alguém talentoso. No mínimo, se formaram, foram incapazes de descobrir.

O investimento que o clube fez com Pratto ou Cueva é o mesmo que precisa ser feito no gol. E enquanto não for feito, o São Paulo, que já tem um sistema defensivo completamente desorganizado, estará sob risco constante. Chega a ser inacreditável a falta da visão do óbvio.