No Resenha ESPN, Careca e Alemão relembram histórias do Napoli liderado por Maradona

LANCE!
·2 minuto de leitura


Os convidados do Resenha ESPN desta semana são os ex-jogadores da Seleção Brasileira, Careca e Alemão. Na atração apresentada por André Plihal, com a presença de Djalminha e Silas, os dois relembraram do período que atuaram com Maradona no Napoli e contaram histórias sobre o craque argentino que faleceu no final de 2020. O programa especial irá ao ar nesta sexta-feira, às 22h, no canal ESPN Brasil.

Antônio de Oliveira Filho, o “Careca”, e Ricardo Rogério de Brito, o “Alemão”, atuaram juntos na Seleção Brasileira, da qual foram representantes na Copa do Mundo de 1986 sob o comando de Telê Santana. Após o torneio, os atletas voltaram a representar o time do Napoli, que tinha como grande craque o argentino Diego Armando Maradona. Juntos, eles conquistaram o título Italiano, a Supercopa da Itália e a Copa da UEFA.

Confira a tabela do Brasileirão e simule as próximas rodadas

No programa, Careca relembrou histórias de seu convívio com Maradona no Napoli.

- A gente se encontrava, a gente curtia bastante fora do campo. O Diego morava, praticamente, a 200 metros de casa. Um pouquinho mais longe do Alemão, mas acho que era coisa de 500, 800 metros. A nossa discussão era sobre quem fazia o melhor churrasco. E era em casa, porque eu já levava as picanhas maturadas do grande Marcão, que Deus o tenha também - afirmou.

Palmeiras dá vexame no Mundial! Relembre derrotas históricas de clubes brasileiros em competições internacionais

Alemão também ressaltou a importância de Maradona para o grupo e como era a personalidade do argentino fora dos holofotes.

- A turma ia bastante um na casa do outro. Passamos réveillon na minha casa também, com todo mundo. Foi maravilhoso, várias vezes. Essa união desse time era dirigida, controlada pelo Maradona. Era uma coisa deliciosa. O Maradona, fora das câmeras, com seus amigos, era uma outra pessoa. Era um cara normal, um cara simples, e foi delicioso ter convivido com ele durante quatro anos - relembrou.