No hospital, Bartra escreve carta emocionante e relata os “15 minutos mais longos” de sua vida

Zagueiro deixa o hospital neste sábado depois de fraturar o pulso na última terça-feira em ataque ao veículo do Borussia Dortmund

Principal atingido pelas bombas que explodiram ao lado do ônibus do Borussia Dortmund, na última terça-feira (11), enquanto o clube se encaminhava para o seu estádio, Marc Bartra escreveu um emocionante texto para explicar o que aconteceu e agradecer todo o apoio que vem recebendo desde então.

Na mensagem, o catalão falou sobre os minutos de pânico e incerteza. Além disso, aproveitou para fazer uma crítica ao ocorrido, que acabou adiando para a última quarta-feira (12) a partida entre o Dortmund e Monaco, pelas quartas de final da Champions League [os monegascos venceram por 3 a 2]. Abaixo, confira as palavras de Bartra!

“Hoje eu recebi mais uma visita que me fez o cara mais feliz. Eles são tudo para mim, a razão pela qual eu luto para passar por qualquer barreira, e esta foi a maior da minha vida. Eu não quero mais isso. A dor, o medo, não saber o que estava acontecendo ou quanto tempo iria durar... foram os 15 minutos mais longos da minha vida.

Quero dizer que o susto está aliviando a cada dia, e sendo substituído pela vontade de viver, de lutar, trabalhar, rir, chorar, sentir, amar, acreditar, jogar, treinar, curtir o meu pessoal, os meus amados, companheiros de time, minha paixão, defender, sentir o cheiro da grama antes de um jogo, como eu costumo fazer para me motivar antes de um jogo.

Ver as arquibancadas cheias de pessoas que amam este esporte, boas pessoas que só desejam sentir a emoção do futebol, esquecer do mundo, especialmente este mundo que nós vivemos, que está mais doido do que nunca.

A única coisa que eu peço, A ÚNICA COISA, é que TODOS nós possamos viver em paz e deixemos as guerras para trás. Nestes dias, quando eu olho para o meu pulso, torcido, inchado e quebrado, vocês sabem o que eu sinto? Orgulho. Eu olho e sinto orgulho porque eles queriam fazer um mal e terminou só nisso.

Agradeço aos doutores, enfermeiras, fisioterapeutas e todos que me ajudam a me recuperar e ajudam o meu pulso a voltar à sua perfeição. Às milhares e milhares de pessoas, media, todas as organizações, BVB e companheiros de time eu me passaram apoio e amor... mesmo o menor gesto me encheu de força para SEMPRE seguir adiante.

Eu preciso tirar isso do meu peito e deixar para trás, para que eu possa voltar aos 100% o mais cedo possível!”.