"No futebol não vale tudo", diz Tite sobre Brasil-Argentina suspenso

·2 minuto de leitura
"En el fútbol no vale todo", dice Tite sobre el superclásico entre Brasil y Argentina en Sao Paulo, por la clasificatoria sudamericana rumbo a Catar-2022, el 5 de setiembre de 2021. (AFP/NELSON ALMEIDA)

O técnico da seleção brasileira, Tite, disse nesta quarta-feira que no futebol há regras que devem ser respeitadas, após a interrupção abrupta do superclássico com a Argentina no domingo, em São Paulo.

"Existe justiça, existem leis, existe respeito, existem hierarquias, no futebol não vale tudo, agora tem regras que se estabelecem", disse o técnico em coletiva de imprensa virtual em Recife sem apontar diretamente contra a 'Albiceleste'.

Tite, de 60 anos, disse que gostaria que o jogo acontecesse, mas tendo a saúde como prioridade.

"Não tenho conhecimento suficiente para saber o que foi feito e a que tempo foi feito. Não posso julgar e não devo julgar. Mas de passar por cima leis... Ah, não. Um pouco de respeito à uma entidade, um país, um povo, um clube, uma seleção", acrescentou na coletiva antes do jogo desta quinta-feira contra o Peru.

A partida entre o Brasil, líder das eliminatórias com 21 pontos, e a Argentina, vice-líder com 15, foi interrompida aos cinco minutos pela entrada de agentes sanitários brasileiros que acusavam quatro jogadores argentinos de violar o protocolo anticovid e de mentir no formulário de imigração de entrada no país.

A seleção argentina nega as acusações e a Fifa deve agora decidir o futuro da partida.

"Eu sempre prezo pelo jogo jogado. Mas se cometeu um erro, que cumpra-se a lei", afirmou Tite, que em imagens televisivas da partida pareceu questionar a entrada dos agentes sanitários.

Em relação à partida contra os peruanos, em que o Brasil buscará o recorde de oito vitórias consecutivas no início das eliminatórias sul-americanas, o treinador indicou que colocará em campo a mesma equipe que iniciou a partida contra a Argentina.

"A gente está tentando de alguma forma encontrar alternativas criativas", indicou, sobre o time titular que será liderado por Neymar junto com os meias ofensivos Everton Ribeiro e Lucas Paquetá.

O Peru é a equipe que a seleção brasileira mais enfrentou sob o comando de Tite (7 vezes) desde que ele assumiu o cargo em junho de 2016. O Brasil só perdeu uma vez, em um amistoso em setembro de 2019.

"São jogos sempre muito competitivos e esperamos que possamos neutralizar os pontos fortes do Peru", disse o auxiliar técnico César Sampaio.

Os 'incas' de Ricardo Gareca, sétimos colocados com oito pontos, não vão contar com seu maior artilheiro, Paolo Guerrero, que cumpre suspensão.

"O Guerrero é um jogador importante mas tem um substituto à altura", o peruano-italiano Gianluca Lapadula, acrescentou.

raa/gfe/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos