No Flamengo, Gávea e Ninho discordam sobre volta aos treinos

Goal.com

Na noite da última quarta-feira (6), o Flamengo divulgou que 38 dos 293 testes aplicados em jogadores e funcionários do departamento de futebol do clube deram positivo para o novo coronavírus. Três desses casos são atletas do elenco profissional, que não tiveram seus nomes revelados. Além disso, mais dois jogadores apresentaram anticorpos, ou seja, tiveram contato com o vírus, mas não transmitem mais a doença.

O resultado dos exames, segundo apurou a reportagem da Goal, endossou o coro de boa parte dos funcionários que temem pela volta dos treinos. No entanto, a diretoria diz que o protocolo correto para o retorno o "mais breve possível" está sendo feito e segue caminhando com esta linha de pensamento. Mais testes foram encomendados e os atletas que tiveram resultado positivo ficarão em quarentena para, em seguida, passar por exames novamente. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A situação mostra, mais uma vez, uma linha de pensamento distinta entre os dirigentes que ficam na Gávea e aqueles do dia a dia no CT do Ninho do Urubu. As medidas como o protocolo de segurança e as conversas com as autoridades para o retorno dos treinos são encabeçadas pelo presidente Rodolfo Landim e pelo vice de relações externas, Luiz Eduardo Baptista, o BAP. 

Enquanto isso, no centro de treinamento, o pensamento é completamente distinto. Os jogadores, por exemplo, se mostraram preocupados não só com os familiares, como também com os funcionários do clube. Vale ressaltar que, na última semana, o Flamengo teve a morte do massagista Jorginho, com 40 anos de serviços prestados ao Rubro-Negro, confirmada por conta do coronavírus. Ele era muito querido e recebeu homenagem de todos os atletas. 

Outro assunto que trouxe discordância entre Gávea e Ninho foram algumas demissões de funcionários do CT, depois disso, a diretoria anunciou um acordo com os jogadores para redução de salário nos próximos dois meses. 

Apesar disso, o Flamengo espera um parecer das autoridades sobre a possibilidade de retornar os treinos já na próxima semana. O clube também acionou o jurídico por por entender que o decreto do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, não pode vetar a retomada das atividades. 

Leia também