No clima da Copa: Regras do futebol pouco conhecidas pelo público em geral

Yahoo Esportes
Recurso do vídeo sendo utilizado para analisar jogadas. Foto: Getty Images
Recurso do vídeo sendo utilizado para analisar jogadas. Foto: Getty Images

O torneio de futebol mais esperado do planeta está chegando. Daqui a menos de uma semana, as melhores seleçōes do mundo disputarão o troféu da competição futebolística de maior apelo existente, que acontece de quatro em quatro anos. Desde a primeira Copa, vencida pelo Uruguai, em 1930, muitas mudanças ocorreram em relação ao que é permitido ou não no tradicional esporte jogado com os pés.

No país do futebol, as regras básicas da modalidade – como o objetivo do jogo de marcar mais gols que o adversário, o tempo de duração de cada partida e os critérios básicos para a marcação de faltas – são conhecidas pela maioria dos fãs do esporte. E até por quem não o acompanha tanto assim.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No entanto, algumas determinaçōes obrigatórias específicas – principalmente as mais recentes -, podem causar dúvidas no público em geral e até mesmo nos apaixonados por futebol. É o caso do “árbitro de vídeo” e do fair play – que, traduzido para o português, – significa “jogo limpo”.

Árbitro de vídeo: Pode ser usado para anular gols, pênaltis ou cartōes vermelhos que foram dados, ou revisar os que não foram assinalados afim de marcar corretamente os lances. O árbitro de vídeo, que é um membro da equipe de arbitragem do jogo, é responsável por rever os replays dos vídeos das jogadas e comunicar o árbitro caso ele tenha interpretado um lance de maneira equivocada. É importante ressaltar que ele não pode ser usado para a revisão de faltas simples, cartões amarelos, escanteios, a não ser que a ausência de uma falta comum tenha provocado influência em um gol ou pênalti.

Para que uma decisão em relação à falta seja revista, o erro na marcação do árbitro precisa ter sido “claro e óbvio”, o que significa que não pode haver margem para duplas interpretaçōes. Não podem ser revistas decisōes referentes a impedimentos.

Quando alguma marcação é duvidosa, o jogo é interrompido e o árbitro principal consulta o árbitro de vídeo, ouvindo sua orientação no ponto que fica colocado em uma de suas orelhas, ou indo até ele e assistindo ao replay do lance.

Logo do <em>Fair Play</em> da Fifa. Foto: Getty Images
Logo do Fair Play da Fifa. Foto: Getty Images

Fair Play: O Fair Play faz referência às questōes de lesão de jogadores durante uma partida. Os árbitros só são obrigados a parar o jogo independentemente de o time que está com a posse de bola optar ou não por jogá-la para fora, fazendo uso do “fair play”, quando há suspeita de uma lesão na cabeça do atleta que está caído no chão. Quando a queda acontece por outro motivo que não um choque na região da cabeça, o jogo pode ser parado caso a equipe que esteja com a bola decida, cordialmente, chutá-la para fora para que o futebolista receba atendimento médico. Quando o jogo é reiniciado, a equipe cujo jogador foi atendido também chuta a bola para fora, para que seu adversário retome a posse de bola que tinha no momento anterior ao atendimento médico.

Leia também