No aniversário de Aracaju, Duda levanta torcida e avança às quartas

Além da parceira de Ágatha, também avançaram com duas vitórias Ana Patrícia/Rebecca, Elize Maia/Taiana e Larissa/Talita

Os sergipanos ganharam um belo presente no aniversário de 162 anos da capital Aracaju. Atleta da casa, a tricampeã mundial Sub-19 Duda, de apenas 18 anos, brilhou junto de Ágatha (PR) e conseguiu vaga antecipada às quartas de final da etapa ao vencer os dois jogos do grupo nesta sexta-feira. A arena está montada na Praia de Atalaia, altura do número 1.800 da Avenida Santos Dumont, com entrada franca.

Além da medalhista olímpica e da jogadora da casa, também avançaram direto às quartas de final, com duas vitórias, Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), Elize Maia/ Taiana (ES/CE) e Larissa/Talita (PA/AL). Outros oito times disputam a repescagem na manhã deste sábado, em busca de classificação.

Após a segunda vitória do dia - 2 sets a 0 (21/18, 21/12) sobre Lili e Josi (ES/SC) -, Duda comentou a alegria de jogar o Open em casa pela primeira vez. O incentivo das arquibancadas ficou ainda mais forte com a presença da avó da atleta, dona Edite, de 95 anos.

- Estou muito feliz que tantas pessoas compareceram para prestigiar, foi muito bom. Não é sempre que Aracaju recebe um torneio com tantos medalhistas olímpicos, com uma estrutura grande e ainda por cima em um evento gratuito. Pude rever amigos, familiares e ainda vencemos bem os dois jogos, que é o principal - disse Duda, que completou.

- Estamos jogando bem, essa energia da arquibancada fez com que eu tentasse sempre ultrapassar meu limite, dar um pouco mais. Quero que todos curtam o momento, independente de pódio ou não. Ainda mais que estou morando no Rio de Janeiro. Minha avó veio, está curtindo, fico feliz demais com esse ambiente.

Quem também comemorou o bom início de etapa foi Ana Patrícia. A mineira de 18 anos garantiu a vaga ao lado de Rebecca após vencer o segundo jogo do dia, contra Juliana/Carol Solberg (CE/RJ), por 2 sets a 0 (21/18, 21/18). Atleta mais alta do tour, ela conta que a rápida adaptação aos fatores climáticos auxiliou nos resultados positivos.

- Viemos muito focadas, pois nossas últimas etapas foram abaixo do que sabemos que podemos apresentar. Tivemos um período maior de treinamento desde o último torneio e foi possível corrigir muitas coisas. Entramos concentradas demais, Juliana e Carol são um time que não permite que você erre. O vento foi nosso aliado, ele estava bastante forte, mas nos adaptamos rápido e funcionou. Agora é descansar e pensar na próxima fase.

A repescagem terá os seguintes jogos: Lili/Josi (ES/SC) x Renata/Thati (RJ/PB); Juliana/Carol Solberg (CE/RJ) x Andressa/Maria Clara (PB/RJ); Fernanda Berti/Bárbara Seixas (RJ) x Rafaela/Flávia Moura (PA/RJ); e Tainá/Victoria (SE/MS) x Maria Elisa/Carol Horta (PE/CE).

Quatro duplas deram adeus ao torneio já na fase de grupos, por terem perdido dois jogos seguidos. São elas Amanda Maltez/Fernanda Nunes (RJ), Andrezza/Vivian (AM/PA), Val/Ângela (RJ/DF) e Semírames/Luiza Amélia (SP/CE).

Cada dupla campeã de uma etapa do Open soma 400 pontos no ranking da temporada, além de levar para casa um prêmio de R$ 45 mil. Todas as equipes são premiadas, e somando os dois naipes, o torneio distribui mais de R$ 420 mil aos atletas.

A temporada do Circuito Brasileiro Open 2016/2017 começou em setembro do ano passado e Aracaju (SE) será a oitava parada dos nove eventos programados. O tour já passou por Campo Grande (MS), Brasília (DF), Uberlândia (MG), Curitiba (PR), São José (SC), João Pessoa (PB) e Maceió (AL). A próxima parada ocorre em Vitória (ES), de 7 a 9 de abril.




















E MAIS: