No último jogo antes da Série B, Botafogo mostra evolução, mas ainda precisa corrigir velho problema

·2 minuto de leitura


Na tarde do último sábado, o Botafogo perdeu o título da Taça Rio para o Vasco, nos pênaltis, em São Januário. A equipe venceu no tempo regulamentar por 1 a 0, mas, nas penalidades, foi superada pelo Gigante da Colina. Apesar da frustração pelo vice-campeonato, o Glorioso finalmente mostrou evolução e conseguiu ser superior dentro de campo. Contudo, para conseguir terminar a Série B entre os quatro primeiros colocados, problemas no setor ofensivo ainda precisam ser corrigidos pelo técnico Marcelo Chamusca.

> Nova camisa lançada! Relembre os últimos uniformes II do Botafogo

No jogo de ida, o meio-campo do Botafogo foi praticamente inexistente. Especialmente durante os 45 minutos iniciais, os volantes titulares Romildo e Matheus Frizzo pouco apareceram. A dupla não mostrou eficácia na saída de bola e também jogou muito espaçada. Isso, então, obrigou a zaga a tentar alguns lançamentos diretos ao invés de trabalhar a saída de bola com passes.

> Veja a tabela do Brasileirão Série B

Dessa vez, no jogo da volta, em São Januário, não. A trinca de meio-campo formada por Romildo, Pedro Castro e Ricardinho conseguiu fazer transições com mais qualidade e, consequentemente, permitiu ao Botafogo chegar ao ataque com mais facilidade.

Além disso, a postura do Botafogo na marcação foi outra. Se na ida, o Alvinegro atuou de maneira mais recuada, no último sábado, a equipe adiantou as linhas e marcou o Vasco sob pressão. Assim, o Glorioso forçou o erro do adversário no campo do rival e conseguiu recuperar a posse de bola em uma posição do campo favorável.

No entanto, um velho problema do Botafogo foi um dos principais fatores para que o time não conquistasse a Taça Rio ainda no tempo regulamentar. O Alvinegro, novamente, voltou a pecar na conclusão das jogadas criadas. Para ilustrar, na reta final de jogo, após boa jogada de Ênio pela esquerda, Felipe Ferreira teve liberdade para concluir a gol de dentro da área. No entanto, o chute não teve direção e passou por cima da meta do goleiro Vanderlei.

- A gente precisa evoluir no aspecto ofensivo. Ter mais ambição, ser mais assertivo, ter uma última bola mais qualificada, porque a gente tem um time equilibrado, que consegue construir e que consegue transitar, então, só o que a gente precisa é evoluir - avaliou Chamusca, que ainda concluiu.

- Melhorar a nossa construção, nossa fase ofensiva do jogo que está mais ajustada. Nós tivemos uma efetividade maior. Se eu não me engano, foram 14 finalizações, com quatro acertos. A gente pode evoluir muito ainda, e nossos jogadores tem capacidade para evoluir. Então, acho que esse é o ponto que a gente precisa construir melhor.

Agora, o Botafogo volta as atenções para o Campeonato Brasileiro Série B. O Alvinegro viaja até Goiânia, onde enfrenta o Vila Nova, no Estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, às 21h30, na próxima sexta-feira, em partida válida pela primeira rodada da competição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos