Promotora pede prisão para 6 acusados de abuso na base do Independiente

EFE

Buenos Aires, 23 abr (EFE).- Uma promotora argentina pediu prisão preventiva para seis acusados no caso que investiga abusos a menores de idade nas categorias de base do Independiente.

A procuradora María Soledad Garibaldi, que investiga pelo menos dez casos de abuso sexual, pediu a prisão do árbitro Martín Bustos, do representante Juan Manuel Díaz Vallone e do organizador de torneios Alejando Dal Cin. Também tiveram a prisão pedida pela promotora o estudante Silvio Fleytas e Leonardo Cohen Arazi.

Fontes da Justiça argentina informaram à agência estatal "Telám" que a promotora também quer a prisão preventiva do primeiro advogado de Bustos, Carlos Tomás Beldi, acusado de destruir a marteladas um telefone celular de seu cliente quando o escândalo foi revelado.

O caso foi divulgado há um mês pelo próprio Independiente, que apresentou uma denúncia após a revelação de que um jogador da base teria prostituído vários jovens com idades entre 14 e 16 anos.

Ele foi acusado de obrigar os companheiros, que, como ele, viviam em uma hospedagem do clube, a ter relações sexuais com homens maiores de idade em troca de dinheiro.

Segundo depoimentos das vítimas e de vários dos 57 jogadores que viviam nas instalações do Independiente, os atletas recebiam roupas, dinheiro em espécie e até recarga nos cartões de transporte em troca para se relacionar com alguns dos acusados. EFE


Leia também