Ninho do Urubu: Libertadores não é Campeonato Carioca, Fla!

Por Bruno Guedes

Antes de começar a Libertadores, falamos nessa coluna que a competição não era para ser encarada como um campeonato qualquer. É preciso saber sofrer e mais ainda saber matar quando tem as chances. A derrota no Chile por 1 a 0 para a Universidad Católica prova isso. Copa Libertadores não é Campeonato Carioca. 

O Flamengo dominou a Católica durante toda a partida, mas continuou a repetir erros que vêm desde o Brasileirão: muito toque de bola e pouca objetividade. Nem sempre só tocar a bola é ter o controle da partida. Na Libertadores, mais ainda. Se tem a chance, tem que marcar. Não marcou. Novamente esqueceu que era preciso algo mais...

O time chileno é inferior ao Rubro-Negro tecnicamente. Sabendo disso, fez o que se espera de um torneio deste nível, se aplicou, se dedicou. E é assim, desde sempre, que se joga uma Copa Libertadores, marcada por arbitragens desastrosas, times violentos e campos hostis.

Zé Ricardo, desta vez, mexeu mal no time. Ao tirar o Éverton, perdeu o lado principal da defesa do time e acabou que foi ali que Diego fez a falta que gerou o gol da Universidad. Mas não é de hoje que o alerta sobre a sua escalação e mexidas na equipe ascendem o sinal de desconfiança da sofrida torcida.

Muitas falhas individuais do Flamengo foram minando a chance de vitória, como de novo Rafael Vaz. O zagueiro repete atuações desastrosas em jogos importantes e continua prestigiado, titular. Já mostrou que não passa a confiança necessária para uma equipe campeã e que precisa dar lugar a Donatti, principalmente por sua força nas jogadas aéreas, de onde saiu o gol da vitória chilena.

A equipe sai do Chile com um lição que foi avisada há semanas. Se aprendeu, tem grandes chances na competição. Mas se continuar a jogar como disputasse um Campeonato Carioca, um "arame liso", aquele que "cerca mas não machuca", terá mais um ano para a coleção de vexames na Libertadores.