Nicole Scherzinger lutou contra sensualidade: 'Era conservadora'

Yahoo Vida e Estilo
Nicole Scherzinger (Foto: Karwai Tang/WireImage)
Nicole Scherzinger (Foto: Karwai Tang/WireImage)

Nicole Scherzinger vai voltar aos palcos com o Pussycat Dolls em 2020 após dez anos de hiato. O grupo bombou entre 2005 e 2010 com sucessos como ‘Don't Cha’, ‘Stickwitu’ e ‘Jai Ho’. Em entrevista ao ‘The Guardian’, a cantora e líder do PCD falou sobre o visual sensual das integrantes que contribuiu para a fama delas lá atrás.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A artista diz à publicação que “lutou” contra a imagem sexy da banda. Nicole conta que era conservadora e evitava os figurinos mais poderosos - elas sempre vestiam peças curtas, decotadas e lingerie nas apresentações. “Eu usava calça na maioria das vezes”, afirma.

Leia também

Ela conta que, no começo, a sensualidade exacerbada foi uma grande questão a ser superada. “Eu tinha crenças religiosas muito fortes. Só queria deixar minha mãe orgulhosa”, lembra.

“Sou muito fãs dos artistas descolados, não vou julgá-los. Só sei que, para mim, gosto de tentar ser um pouco mais... Não quero dizer ‘recatada’ - pareço uma puritana -, mas elegante”, dispara.

Nicole sofreu com distúrbios alimentares e distorção de imagem antes de entrar para o Pussycat Dolls, mas a pressão para manter um padrão de beleza, a fama e o trabalho em excesso contribuíram para que ela tivesse problemas com o corpo e comida durante o período do grupo.

“Tudo isso roubou a alegria do que eu estava fazendo, vivia em um mundo sombrio. Não consegui aproveitar”, conta a cantora que sempre foi a favor do retorno do PCD.

O grupo fez seu grande retorno no último sábado (30) na final no programa ‘The X-Factor: Celebrity’.

Leia também