Nicole Pacelli representa o Brasil no Oscar das ondas gigantes

A paulistana bicampeã mundial de stand up paddle esta entre as indicadas na categoria women's performance; Carlos Burle entregará um dos prêmios

A bicampeã mundial de stand up paddle Nicole Pacelli foi indicada para o WSL Big Wave Awards. o Oscar das ondas gigantes. A paulistana concorre categoria na Women’s Performance. A premiação ocorre em Los Angeles (EUA) neste sábado. A brasileira é a única representante feminina do país na premiação.

- Quando a WSL divulgou as finalistas foi uma surpresa para mim, demorou para cair a ficha que eu estava entre os melhores atletas de ondas grandes do mundo! Foi uma realização pessoal muito grande e me deixou ainda mais confiante - contou Nicole.

Diferentemente da competição masculina, que engloba diversas categorias, as mulheres disputam apenas um prêmio, que avalia o conjunto de ondas surfadas pelas atletas durante a temporada. Nicole teve três ondas selecionadas, surfadas em distintas regiões do Havaí. Na primeira, em Waimea, ela entrou remando deitada em uma ganzeira, prancha específica para ondas gigantes. Em Oahu, a paulistana surfou na sua especialidade, stand up paddle. A última foi em Jaws no tow-in, onde o atleta é puxado por um jet-ski, já em pé, e é deixado na onda.

O responsável por introduzir Pacelli no mundo das ondas gigantes foi seu pai, Jorge. Contudo, com os treinamentos focados no Circuito de stand up paddle, ela nunca teve tempo para se dedicar ao paredões mais temidos do mundo. Como finalista da premiação, Nicole revela que sua carreiro pode sofrer alterações.

- Nunca fiz um treinamento específico para onda grande, pois não era algo profissional. Porém, com essa nomeação, a parada ficou séria! Espero ser chamada para o Big Wave World Tour e vou começar a fazer treinos específicos para onda grande também, além de treinos de apneia e meditação.

No masculino, Pedro Calado e Lucas Chumbo estão entre os finalistas. O atual treinador de Chumbo, Carlos Burle, foi convidado para entregar o prêmio Tubo of the Year, primeiro da noite. Burle também comentará sobre o fim de sua carreira como competidor.

- Eu já estou na adrenalina. Vai ser um misto de emoções, porque é um momento que não tem mais retorno. Eu estou me despedindo como atleta das competições, e com isso vem à memória muitas conquistas e lembranças de toda a minha carreira. Mas também é muito bom pensar que vou seguir trabalhando e batalhando cada vez mais por um esporte mais profissionalizado e sem preconceitos. Quando eu comecei, tudo era mais difícil. Hoje o surfe vai para os Jogos Olímpicos, por exemplo - destacou Burle.












E MAIS: