Neymar se defende de acusação de ataque sexual e diz que Nike mente

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* KAZAN, RÚSSIA, 07.07.2018: O atacante brasileiro do Paris Saint-Germain, Neymar em Kazan, na Rússia. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* KAZAN, RÚSSIA, 07.07.2018: O atacante brasileiro do Paris Saint-Germain, Neymar em Kazan, na Rússia. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Pelas redes sociais, Neymar se pronunciou pela primeira vez, nesta sexta-feira (29), sobre a acusação de que ele teria atacado sexualmente uma funcionária da Nike, em 2016, e se recusado a colaborar com as investigações internas da empresa.

O acordo de patrocínio com a empresa teria sido rompido após o jogador não ter contribuído com a apuração.

"Não me deram a oportunidade de me defender. Não me deram a oportunidade de saber quem é essa pessoa que se sentiu ofendida. Eu nem a conheço. Nunca tive nenhum relacionamento. Não tive sequer oportunidade de conversar, saber os reais motivos da sua dor. Essa pessoa, uma funcionária, não foi protegida. Eu, um atleta patrocinado, não fui protegido", escreveu ele.

Hoje patrocinado pela Puma, o jogador do Paris Saint-Germain foi convocado para as partidas da seleção brasileira nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.

"Ironia do destino continuarei a estampar no meu peito uma marca que me traiu", completou ele. A Nike é fornecedora de material esportivo da Confederação Brasileira de Futebol.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos