Neymar "nunca esteve tão feliz em Paris." Um aviso ao Barcelona?

Goal.com

Mesmo que a temporada 2019-20 tenha começado problemática para as relações entre Neymar e o PSG, o jogador nunca esteve tão feliz em Paris quanto agora. E quem diz isso é Ander Herrera, seu companheiro no clube parisiense.

Antes da paralisação, o brasileiro vivia um dos melhores anos de sua carreira, conseguindo se manter saudável e brilhando na Liga dos Campeões da Uefa, sonho de consumo da equipe francesa. Finalmente conseguindo assumir o protagonismo que sonha, - e aparentemente mais maduro - Neymar não teria razão para deixar o Paris Saint-Germain.

"Eu jantei com ele antes da quarentena e ele nunca esteve tão focado no nosso projeto. Me falou que está muito contente." afirmou Herrera.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Assim, mesmo que o Barcelona mova mundos e fundos para tentar a contratação do craque [como vem fazendo para tentar levar Lautaro Martínez], Neymar, em paz consigo mesmo na capital francesa, teoricamente recusaria as propostas dos catalães.

Ainda de acordo com Ander Herrera, pode-se falar o mesmo de Kylian Mbappé. Todos sabem que o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, sonha em levar o francês para o clube merengue. De acordo com o argentino, o jogador também está focado no projeto do PSG e pretende renovar o seu contrato.

Campeões nacionais da Ligue 1 em 2019-20, devido ao término prematuro da temporada na França, o desafio que resta para os parisienses é a tão sonhada Liga dos Campeões da Uefa.

Com boas atuações tanto de Neymar quanto de Mbappé, o PSG despachou o Borussia Dortmund nas oitavas de final e espera seu adversário nas quartas, seja quando for a retomada da competição.

Depois de eliminar os alemães, o elenco do clube francês gerou polêmica ao imitar a comemoração de Haaland, centroavante do Borussia, para provocá-lo. No jogo de ida, o norueguês havia dito que "era o rei de Paris."

"Uma coisa que eu aprendi aqui na França é que nunca, nunca, você deve deixar Neymar e Mbappé irritados." terminou o argentino.

Leia também