Neymar Jr conta sobre 'pré-temporada' no Brasil e diz estar pronto para 'fazer história'


Após três meses no Brasil, Neymar Jr está de volta à França, onde vai retomar as atividades esportivas presenciais no centro de treinamento do PSG na próxima segunda-feira (22), com foco na disputa da reta final da Liga dos Campeões. Neymar Jr se preparou para o retorno com treinos intensos e raríssimos dias de folga. Ele também se divertiu em lives musicais com amigos e participou de diversas ações sociais para ajudar famílias afetadas pela pandemia do coronavírus.

- Esse período foi atípico, mas o principal foi manter a segurança com a mente e o corpo em dia. Estou pronto e empolgado para o retorno, pensando muito na Liga dos Campeões, claro. Nós temos um grupo forte, conseguimos uma classificação histórica para as quartas de final e agora é focar no objetivo. Treinei bastante nos últimos meses, com a mesma intensidade e dedicação, mas sinto falta do calor do jogo. Mal posso esperar para entrar em campo e, se Deus quiser, fazer história - afirmou Neymar Jr.

Nesta semana, a UEFA definiu a continuidade dos jogos da Liga dos Campeões para agosto deste ano. As partidas serão realizadas em Portugal. O PSG conhecerá o adversário das quartas de final no sorteio marcado para 10 de julho. O último jogo do Paris antes da suspensão total dos jogos por conta da pandemia foi justamente pela UCL, em 11 de março, na classificação contra o Dortmund por 2 a 0. Na ocasião, Neymar Jr marcou o com o gol de número 400 na carreira.




“Pré-temporada” no Brasil


Durante os três meses que ficou no Brasil, Neymar Jr trabalhou para continuar saudável e manter a boa forma física. O planejamento dos treinos foi seguido à risca com atividades na academia, em campo, quadra, caixa de areia e treinos de bicicleta. "A maior parte dos 90 dias ele sempre esteve fazendo algum tipo de atividade”, garante o preparador físico Ricardo Rosa.

Os treinos com bola específicos para atletas de futebol ganharam um reforço nos últimos dias. Segundo Rosa, desde de 1 de junho foi feito uma espécie de “pré-temporada”, visando a retomada das atividades no clube. “O principal foi a dedicação do Neymar, o esforço e o desempenho que ele teve, o foco. Nunca tive possibilidade de ficar três meses com ele direto, e ele se demonstrou dedicado, esforçado, animado a fazer todo trabalho, demonstrando confiança e respeito ao meu trabalho”, disse Rosa.

Lives e ações sociais

A 'diversão' de Neymar Jr, assim como a de grande parte das pessoas que mantiveram o distanciamento social pelo mundo durante a pandemia, foi virtual. No Brasil, Neymar Jr participou de diversas transmissões musicais ao vivo na internet. Além do entretenimento, as “lives solidárias” também tiveram o papel de arrecadar doações para famílias afetadas pelo coronavírus.

“Ter essa interação com os amigos nas lives dos artistas foi divertido pra aliviar um pouco a tensão do momento, mas também foi muito importante poder ajudar nas ações. Pessoas de vários lugares estão precisando. O importante é somar”, comenta o atleta.

Neymar Jr fez participações por videochamadas e por celular em algumas apresentações, como das cantoras Ludmilla, Anitta, dos cantores Thiaguinho, Wesley Safadão, Leonardo e dos grupos Raça Negra, Revelação e Menos é mais, por exemplo.

Popularidade do bem

O atleta também usou sua popularidade para engajar causas sociais com amigos e atletas e ex-atletas. Iniciativas também voltadas para ajudar famílias com renda reduzida por conta da pandemia. No início da pandemia ele se juntou aos amigos Luciano Huck, Thiaguinho, Gabriel Medina, Rafael Zulu e Juninho para incentivar a cultura da doação no país.

Neymar Jr também doou uma camisa autografada para a ação online do “Desafio Corona”, promovida pelo goleiro Alisson e o ex-jogador Denilson, além de um uniforme para um leilão beneficente apoiado pelo técnico Carlos Alberto Parreira e para o movimento 'O futebol se importa'.

Já na última semana, participou do leilão beneficente “Assistência de Craque”, da Federação Paulista de Futebol. Neymar Jr doou uma chuteira usada na campanha do tricampeonato Paulista de 2012 pelo Santos. O valor arrecadado com os itens enviados pelos atletas e ex-atletas na iniciativa da FPF será destinado a instituições e a profissionais do futebol paulista que ganham até dois salários mínimos.

















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também