Neymar, Ganso, Robinho: onde estão os campeões do Santos de 2010?

Goal.com

O Santos de 2010 foi um time que encantou o Brasil todo. Com goleadas e jogando um futebol bonito, o time dirigido por Dorival Júnior era recheado de potenciais craques, que na época ainda eram jovens talentos, mas contava também com a experiência necessária em um time vencendor.

Aquela geração do time da Vila Belmiro conquistou o Paulistão e a Copa do Brasil. E, talvez, um os jogos mais marcantes daquele time foi justamente o segundo jogo da final estadual contra o Santo André, que completa 10 anos no próximo sábado, 2 de maio.

O Santos perdeu aquele jogo por 3 a 2, mas como havia vencido o primeiro jogo pelo mesmo placar e havia terminado a primeira fase com melhor campanha, ficou com o título. Neymar fez os dois gols da equipe santista, que terminou a partida com três jogadores expulsos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Dez anos depois da histórica conquista, muita coisa mudou na vida dos atletas. Ganso não se tornou o craque que se esperava, assim como o atacante André, que não se firmou em nenhum clube depois do alvinegro praiano.

Onde estão os campeões do Santos de 2010?

Felipe, goleiro do Tombense-MG

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Glória a Deus 🙏🙏🙏 @tombensefc @tombense_oficial @luvaspoker @willgoncalvesphoto 📸

Uma publicação compartilhada por Felipe Garcia 🇧🇷 (@felipegarcia50) em 9 de Mar, 2020 às 7:07 PDT

O goleiro ficou famoso não só pelas defesas mas também por um vídeo que viralizou na época, em que dizia: "O que eu gasto com meu cachorro de ração, é seu salário por mês". Após rodar por clubes do futebol nacional como Avaí, Náutico e Fluminense, Felipe chegou a ficar um período sem clube.

Ele chegou ao Tombense no ínicio de 2020 e já disputou nove jogos, sofrendo cinco gols. Ele é o titular do time que ocupa a segunda colocação do Campeonato Mineiro.

Wesley, meio-campista do Avaí

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

🔵⚪⚽️🙏❤

Uma publicação compartilhada por Wesley Beltrame (@wesley11beltrame) em 8 de Mar, 2020 às 4:04 PDT

Wesley atuava como lateral direito no time de Dorival Júnior, mas era um coringa que podia fazer diversas funções. Depois de atuar no Werder Bremen, da Alemanha, voltou para o futebol brasileiro, em 2012 ,para jogar pelo Palmeiras. A torcida palmeirense chegou a fazer uma "vaquinha" online a fim de arrecadar dinheiro para ajudar na contratação do jogador.

Ele não se firmou no Alviverde e foi contratado pelo São Paulo depois de três temporadas. Também não deixou saudades no Tricolor Paulista. Após passagens por Sport, América-MG e Criciúma, Wesley defende hoje a camisa do Avaí.

Edu Dracena, aposentado

O zagueiro foi um dos líderes do Santos na conquista da Libertadores, em 2011, e da Recopa, em 2012. Deixou a Vila Belmiro no final de 2014 e em janeiro do ano seguinte, acertou com o Corinthians, onde foi campeão brasileiro. Alegando falta de espaço no time, pediu rescisão de seu contrato e foi para o Palmeiras.

No Alviverde, Dracena foi jogador importante nas conquistas do Brasileirão de 2016 e 2018. No final de 2019, anunciou sua aposentadoria como jogador, mas continua no Palmeiras. Hoje, ele ocupa a função de assessor técnico do clube, atuando diretamente com jogadores e comissão técnica.

Durval, aposentado

O "xerife" da defesa santista também conquistou a Libertadores em 2011, mas, diferentemente do companheiro de zaga, deixou a Vila Belmiro em 2013 e acertou seu retorno ao Sport Recife.

No Leão da Ilha, foram mais quatro anos atuando pelo clube, onde se tornou um dos ídolos do time. Em janeiro de 2020, anunciou oficialmente sua aposentadoria dos gramados.

Alex Sandro, lateral da Juventus

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

⚪️⚫️🤙🏽💪🏽🙏🏽#juventus

Uma publicação compartilhada por Alex Sandro - Perfil Oficial (@alxsndro12) em 22 de Fev, 2020 às 12:05 PST

O lateral esquerdo tinha apenas 19 anos naquela conquista do Paulistão. Campeão da Libertadores com o Santos no ano seguinte, foi vendido para o Porto, de Portugal, ainda em 2011. Por lá, ficou por quatro temporadas, onde foi campeão nacional duas vezes.

Em 2015, Alex Sandro se transferiu para a Juventus, onde atua até hoje. Já são oito títulos com a Velha Senhora, incluindo quatro Scudetti. Alex Sandro também foi titular na conquista do Brasil na Copa das Confederações de 2019.

Arouca, volante do Figueirense

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Saudade⚽️❤️ #figueira #saudade #futebol #fiqueemcasa

Uma publicação compartilhada por Marcos Arouca da Silva (@oficialarouca5) em 31 de Mar, 2020 às 10:43 PDT

O volante era um jogador muito querido pela torcida santista. Aos 23 anos, era um dos melhores jogadores da posição no país. Ele ficou no Santos até 2015, ano em que entrou com uma ação judicial contra o clube. Naquele ano, foi para o Palmeiras, onde atuou pouco em dois anos de clube.

Embora tivesse um contrato de quatro temporadas, foi emprestado para o Atlético-MG e Vitória em 2017 e 2018, respectivamente. Atualmente o volante atua pelo Figueirense.

Marquinhos, aposentado

O meio campista ficou muito identificado com o Avaí, onde encerrou a carreira em 2019. Em 2011, ele foi emprestado pelo Santos ao clube de Santa Catarina, onde participou da melhor campanha da história do time na Copa do Brasil.

Entre 2011 e 2012, ele atuou no Grêmio, mas aos poucos foi perdendo espaço e em 2013 voltou para o Avaí. Hoje, ele trabalha como diretor do futebol do clube.

Paulo Henrique Ganso, meio campista do Fluminense

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Digo e repito, Vc é fenômeno!! @lucasmerconphotos

Uma publicação compartilhada por PH Chagas de Lima Costi (@phganso) em 31 de Jul, 2019 às 3:42 PDT

Aquela final do Paulistão de 2010 foi, provavelmente, um dos maiores momentos de Ganso com a camisa do Santos. Ganso comandava o time, não só naquele estadual, mas até se lesionar no joelho, no Brasileirão daquele ano.

Muito se esperava de Ganso, mas em 2012 ele foi vendido ao São Paulo. No Tricolor, o meia conseguiu mostrar um pouco do bom futebol mas nada do que havíamos visto em 2010. Antes de chegar ao Fluminense, onde é o camisa 10, ele também atuou por Sevilla, da Espanha, e Amiens, da França.

Robinho, atacante do Istambul Basaksehir

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

@mmossoro8 @jr_caicara80 irmãos ⚽️⚽️⚽️

Uma publicação compartilhada por Robinho (@robinho) em 4 de Jul, 2019 às 3:17 PDT

Depois de uma passagem sem muito brilho pela Europa, Robinho retornou ao Santos onde brilhou ao lado de Neymar e Ganso. Com sua experiência, era um dos líderes do time, mas ao mesmo tempo era irreverente com seu futebol.

Ainda em 2010, Robinho retornou ao Milan, mas jogaria novamente na Vila entre 2014 e 2015. Ele ainda atuou por Guangzhou Evergrande, da China, e Atlético-MG antes de chegar á Turquia, onde já defendeu o Sivasspor e hoje veste a camisa do Istambul Basaksehir.

Neymar, atacante do PSG

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TBT de saudade ⚽️😢❤️

Uma publicação compartilhada por ene10ta Érre 🇧🇷 👻 neymarjr (@neymarjr) em 2 de Abr, 2020 às 6:19 PDT

Neymar dispensa apresentações. Protagonista do clube na conquista da Libertadores de 2012, ficou no clube até 2013, quando foi vendido ao Barcelona. Ao lado de Leo Messi e Luis Suárez, protagonizou um dos melhores trios ofensivos do futebol mundial.

Quando se transferiu para o PSG, tornou-se o jogador mais caro do mundo. O craque, porém, nunca conseguiu seus maiores objetivos: ser campeão do mundo com o Brasil e vencer o prêmio de melhor jogador do mundo. Uma possível volta ao Camp Nou o ajudaria?

André, atacante do Grêmio

 

 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Feliz pela vitória e por voltar a marcar 🤙🏽🇪🇪 !!! #gloriaDeus #éusguri @lucasuebel 📸

Uma publicação compartilhada por . Andre Felipe (@andreefelipe9) em 26 de Set, 2019 às 6:48 PDT

A expectativa em André também era grande. Ele foi o primeiro do time a ser negociado e ainda em 2010 trocou a Vila Belmiro pelo Dínamo de Kiev, Ucrânia. Sem conseguir atuar no mesmo nível, foi emprestado ao Bordeaux, na França, onde também não rendeu.

Voltou ao futebol brasileiro e rodou por diversos clubes da Série A, sem conseguir se estabelecer como o camisa 9 de nenhum. Vasco, Atlético-MG, Corinthians e Sport são alguns exemplos. Atualmente, André é reserva no Grêmio de Renato Portaluppi.

Leia também