Neymar evita rivalizar com Messi, mas Tite já prevê reinado

Sorridente ao falar sobre “o melhor momento da carreira”, segundo ele mesmo, o atacante Neymar fica introvertido quando lhe perguntam a respeito da disputa pelo título de melhor jogador do mundo. Não é à toa. O maior vencedor da premiação oferecida pela Fifa é o argentino Lionel Messi, seu amigo e companheiro de Barcelona.

“Não me sinto confortável em falar sobre isso nem gosto. Messi e Cristiano Ronaldo (o argentino ganhou o prêmio cinco vezes; o português, quatro) são dois craques que estão mantendo um nível gigantesco há dez anos. Um deles está ao meu lado todos os dias. Foi o melhor jogador com quem já joguei”, explicou Neymar, que estará a serviço da Seleção Brasileira contra o Paraguai nesta terça-feira, em Itaquera.

Neymar, no entanto, já começou a dar indícios de que ainda poderá ofuscar Messi. Foi assim na classificação do Barcelona às quartas de final da Liga dos Campeões, quando liderou uma surpreendente goleada por 6 a 1 sobre o francês Paris Saint-Germain. Enquanto ele está novamente em alta na Seleção Brasileira, o amigo voltou a ser alvo de contestações de torcedores na argentina.

“O Messi é um cara que me ajudou muito nos quatro anos em que estou no Barcelona, principalmente no começo. Querendo ou não, você tem receio de falar com o seu ídolo. Aí, quando o melhor jogador do mundo, com não sei quantas Bolas de Ouro, te fala para ter calma e jogar o seu jogo porque tudo dará certo, você fica mais à vontade em campo. Hoje, temos uma relação maravilhosa. Um ajuda o outro em todos os momentos”, enalteceu Neymar, incluindo o atacante uruguaio Luis Suárez no rol de atletas com quem esbanja entrosamento.

Ao lado de Neymar enquanto o jogador concedia entrevista, o técnico Tite não teve o mesmo cuidado em evitar a rivalidade com Messi. “O Neymar não pode responder isso, mas eu posso. Ele fez 25 anos agora, enquanto o Messi (29) e o Cristiano Ronaldo (32) estão para lá dos 30. São gerações diferentes. Os dois estão jogando em alto nível há muito tempo. Dessa geração atual, é o Neymar quem vejo em processo de maturidade”, indicou, assentindo sobre a iminência da conquista do prêmio de melhor do mundo. “Sim, sim.”

Neymar continua acanhado diante de elogios como o de Tite. “Só quero ser um jogador melhor a cada dia. Não quero ser melhor do que ninguém, mas superar a mim mesmo. Fico muito feliz pelo meu momento, o melhor da carreira – não em números, mas fisicamente, em tudo –, e espero manter essa média de boas atuações. Ajudar os meus companheiros é o mais importante”, bradou.

O discurso de Neymar, de qualquer forma, agrada a Tite. O técnico do Brasil também se mostra humilde quando escuta que ele mesmo poderá ser eleito pela Fifa como o melhor do seu meio. “Tento não me comparar com outros treinadores porque acabarei me frustrando. Sempre vou encontrar alguma coisa melhor em outro profissional. Procuro apenas ser observador – ver, ouvir e aprender. A partir daí, oriento os atletas”, divagou o gaúcho.