Neymar deixou o Barcelona na mão em um momento crucial

Felipe Portes
(AP Foto/Daniel Tejedor)

O desastre foi completo. O Barcelona jogava logo após o Real Madrid, tinha a chance de assumir a liderança, pegava o Málaga fora de casa. Entretanto, uma série de pequenos erros culminou em uma derrota crucial para a classificação.

O Málaga venceu por 2-0 e Neymar, que vinha em grande fase, foi expulso. Ao sair de campo, ele aplaudiu ironicamente o árbitro e ainda dirigiu xingamentos a ele, o que pode causar uma punição maior. Esta não é a única preocupação do momento. Além de tudo isso, Neymar pode perder o jogo contra o Real Madrid que decidirá a temporada, em 23 de abril.

A expulsão, no entanto, pode ser considerada um exagero por parte da arbitragem. Porque o primeiro cartão amarelo da noite foi exibido ao brasileiro enquanto ele trocava de chuteiras. A atitude foi vista como cera, já que o Málaga esperava para cobrar uma falta. O segundo cartão, menos contestável, foi originado de uma falta com força excessiva em Diego Llorente.

Depois de ser mandado aos vestiários mais cedo, Neymar não deixou por menos e protestou, como se fosse adiantar de alguma coisa. Sabe-se que cada vez mais, os árbitros estão dando demonstrações de poder, em qualquer país. Na Espanha, onde há pressão por causa da soberania de Real Madrid e Barça, não seria diferente. A questão é: como um dos grandes beneficiados, o Barça também sofre com compensações no apito, algo que pode ser demonstrado pelo rigor no primeiro cartão dado ao brasileiro.

Embora possamos discutir por semanas o critério do árbitro pela expulsão, uma coisa é certa: Neymar não poderia perder o controle ou se colocar em uma situação destas dentro do contexto que está vivendo. O Barça luta com unhas e dentes para retomar a liderança do Espanhol e ficar à frente do Real Madrid. Perder um jogo como esse contra o Málaga, claramente inferior, além de deixar o Real abrir vantagem, pode causar um desfalque fatal para o Barça, que precisa de força total para tentar derrubar os rivais da ponta.

Muito se falou que a partida de Neymar que valeu a classificação às quartas de final da Liga dos Campeões foi uma das melhores que ele fez com a camisa do Barça, o que não é nenhum exagero. Mas essa contra o Málaga também tinha muito peso dentro da Liga Espanhola. Por que não se preparar de outra forma?

É claro que qualquer expulsão pode ser discutida, mas no caso de já ter um cartão amarelo, por qualquer motivo que seja, é necessário ter cautela, algo que Neymar não teve ao fazer a falta que resultou na sua saída de campo. Pior ainda se avaliarmos a revolta no túnel, o que foi relatado pelo árbitro na súmula.

Foi a primeira expulsão de Neymar em quatro anos de Barcelona, o que mostra um pouco de sua maturidade. Mas ele ainda tem muito o que aprender para se tornar um jogador que contribui não só tecnicamente e marcando gols com o Barça. Para ser um líder mental e motivacional, falta bastante. O que se espera dele é uma reação à altura do seu futebol na próxima partida. E se por um acaso ele conseguir estar em campo contra o Real Madrid, o descontrole precisa passar longe. O Barça carece de um Neymar focado em seu retorno.

Aos 25 anos, ele simplesmente não tem mais idade para ser expulso de maneira tola. Grandes craques podem ter dias ruins como este que estamos comentando. Mas que os gols e lances sempre venham de forma a apagar os erros cometidos em um momento de fúria.

A primeira resposta virá na terça-feira, quando o Barça pega a Juventus fora de casa pela Liga dos Campeões. Veremos a postura de Neymar neste primeiro jogo decisivo na Europa. Cabeça no lugar, no mínimo.