Neymar é condenado a pagar € 6,79 milhões ao Barcelona

AFP
Neymar em partido do PSG contra o Bordeaux em 23 de fevereiro de 2020
Neymar em partido do PSG contra o Bordeaux em 23 de fevereiro de 2020

A Justiça espanhola rejeitou nesta sexta-feira (19) a demanda do atacante brasileiro Neymar contra o Barcelona para exigir o pagamento de 43,6 milhões de euros (US$ 48,9 milhões) de um bônus de renovação antes de sua saída abrupta para o PSG, condenando o atleta a pagar € 6,79 milhões (US$ 7,6 milhões) por "quebra de contrato".

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ao encerrar seu contrato de modo prematuro, Neymar "não apenas não tinha o direito de receber a quantia que reclama, como deverá reembolsar ao clube o excesso do que recebeu a título de 'singing bonus', por rescindir antes do tempo o contrato de trabalho sem causa justificada", afirma a sentença de um tribunal de Barcelona.

Leia também:

Divulgado nesta sexta-feira, o veredicto rejeita completamente a demanda apresentada por Neymar pelo não pagamento por parte do Barça do bônus acordado em 2016, na renovação de seu contrato até 2021, que era de 64,4 milhões de euros brutos (US$ 72,3 milhões).

O Barcelona pagou uma primeira parcela de € 20,75 milhões (US$ 23,3 milhões), mas, quando Neymar trocou o clube pelo PSG em agosto de 2017 pela quantia recorde de € 222 milhões (US$ 249,2 milhões), não liquidou os restantes € 43,65 milhões brutos exigidos pelo jogador.

A situação gerou uma processo duplo por quebra de contrato: o Barcelona exigiu de Neymar o reembolso da quantia paga e uma indenização, enquanto o jogador exigia o pagamento integral do bônus.

A disputa foi resolvida em uma audiência judicial em 27 de setembro do ano passado. A sentença foi revelada nesta sexta-feira.

O jogador considerou que o bônus deveria ser pago pelo simples fato de assinar a renovação, sem considerar a duração do contrato, mas de acordo com os autos do processo o prêmio tem caráter salarial, o que significa que existe um "vínculo da cláusula de transferência à duração do contrato de trabalho".

Isto permite ao Barça não apenas não pagar o restante do bônus como reclamar parte do que foi pago antes de Neymar trocar o clube pelo PSG, o que significa que o brasileiro terá qie devolver 6,79 milhões de euros ao Barcelona.

Após a sentença, o clube espanhol expressou satisfação em um comunicado, no qual adverte que seguirá defendendo seus interesses, já que a sentença pode ser alvo de recurso de Neymar.

Os problemas judiciais acompanham o astro brasileiro desde que trocou o Santos pelo Barça em 2013.

Sua contratação pelo Barcelona foi objeto de vários processos no Brasil e Espanha, alguns deles ainda abertos.

Um deles foi iniciado pelo fundo brasileiro DIS, ex-proprietário de parte dos direitos do jogador, que pode terminar com Neymar julgado na Espanha por corrupção entre particulares.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também