Newgarden vence final da Indy em St. Pete, mas Dixon é terceiro e confirma o hexa

Carlos Costa
·3 minuto de leitura

Em um final de temporada espetacular no GP de St. Pete neste domingo, o norte-americano Josef Newgarden brilhou para vencer mais uma prova da IndyCar com a Penske, mas viu o rival Scott Dixon conquistar o título de 2020.

O editor recomenda:

Félix da Costa fará teste com carro da Indy em Barber

O veterano neozelandês chegou em terceiro para assegurar o hexacampeonato da maior categoria de monopostos dos Estados Unidos, consagrando mais uma boa estratégia da Chip Ganassi. O mexicano Pato O'Ward teve atuação sólida e terminou em segundo com a McLaren.

A corrida

Na largada, Power manteve a ponta, à frente da trinca da Andretti, composta pelos norte-americanos Alexander Rossi e Herta, além do canadense James Hinchcliffe. Já os candidatos ao título começaram de forma conservadora, com Dixon ficando em 11º e Newgarden em oitavo.

Logo no começo da prova, Power cometeu um erro, foi ultrapassado pelos concorrentes da Andretti e caiu para quarto. Na briga pelo campeonato, Newgarden manteve sua posição e Dixon subiu para 10º.

Na 20ª volta de um total de 100, Newgarden aparecia em sétimo, dois postos à frente de Dixon. No pelotão da frente, as posições se mantiveram, com Rossi na ponta, seguido por Herta, Hinchcliffe e Power. O'Ward fechava o top-5.

Dez giros depois, Dixon fez seu pit stop. Newgarden também parou e retornou à disputa dois postos à frente do rival, no meio do bolo. Na volta 32, Power foi para os boxes e voltou à pista perto do companheiro de Penske, mas acabou atrapalhando Newgarden.

No fim das contas, não houve maiores incidentes e Newgarden apareceu em sexto, com Power em oitavo e Dixon em 11º. À frente, os pilotos da Andretti fizeram seus pit stops e mantiveram a ponta, com Rossi na liderança, seguido por Herta e Hinchcliffe.

Na volta 37, Power voltou a se atrapalhar e causou a primeira bandeira amarela, após dar uma bater no muro e dar 'chilique' (veja abaixo). Na relargada, Newgarden saltou para quarto, mas logo houve outro acidente. Desta vez, com o norte-americano Santino Ferrucci, da Dale Coyne.

Após a saída do pace car, o carro de segurança da Indy, outro acidente, agora com o neozelandês Scott McLaughlin, novo piloto da Penske, e o holandês Rinus VeeKay, eleito o 'novato do ano' com a Dale Coyne.

A relargada seguinte não teve batidas e Rossi se manteve na liderança, à frente de Herta, Hinchcliffe, Newgarden, O'Ward e Dixon. Na volta 63, porém, Herta escapou e perdeu a vice-liderança, voltando ao traçado atrás de Rossi, Hinchcliffe e Newgarden.

Três giros depois, Newgarden fez novo pit stop. Dixon parou na sequência e voltou em 11º, dois postos atrás do rival. O pelotão da Andretti também fez paradas, mas Rossi escapou e bateu logo na sequência, causando nova bandeira amarela a 30 voltas do fim.

Após a relargada, feita no giro de nº 75, Herta apareceu na liderança, à frente de Hinchcliffe. O novato espanhol Alex Palou, da Dale Coyne, saltou para terceiro, seguido por Newgarden, O'Ward e Dixon.

Mas a 'paz' no GP de St. Pete não durou muito, já que o norte-americano Marco Andretti teve furo de pneu e bateu a máquina da equipe da família. Logo na sequência, quem teve problemas foi Hinchcliffe, que errou e quebrou a asa dianteira. Nova bandeira amarela.

A relargada não demorou e Newgarden foi com tudo para cima, passando Palou e Herta, que perdeu duas posições. Na sequência, quem vacilou foi Palou, promovendo Dixon momentaneamente a terceiro, atrás de Herta e do líder Newgarden. Veja no vídeo abaixo:

Entretanto, a bandeira amarela logo tremulou. A batida da vez foi com o novato norte-americano Oliver Askew, que está de saída da McLaren. De todo modo, o outro piloto da equipe soube aproveitar.

Na relargada, O'Ward se consolidou no pelotão da frente e apareceu em segundo após novo erro de Herta, que caiu para o meio do bolo. Com isso, Dixon voltou ao terceiro posto, que havia sido brevemente perdido. As posições se mantiveram e o neozelandês pôde celebrar.