Neto, Ruschel e Follmann, sobreviventes da tragédia da Chape, se juntam e celebram a vida

Neto, Alan Ruschel e Follmann, às vésperas do encontro de Chapecoense e Atlético Nacional pela Recopa, no dia 4 de abril, se encontram e ao invés de relembrarem a tragédia de 29 de novembro, celebrem a vida.

Em uma roda de pôquer regada a pizza que une suas famílias em clima descontraído, o trio exalta as coisas boas da vida. Alan e Follmann são amigos desde as categorias de base do Juventude e após o acidente, aproximaram Neto. O sorriso no rosto dos jogadores faz com que a queda do avião comece a ficar para trás.

Torcida Chapecoense Lanus Copa Libertadores 16032017

(Foto: Chapecoense/Divulgação)

VEJA TAMBÉM:
Sampaoli quer Messi | G. Jesus abandona muletas | Malcom segue de olho no Timão

"Quando o cara coloca a senha do Wi-Fi com o nome do irmão dela (a noiva), olha...", afirmou Neto ao Globoesporte.com, citando Alan Ruschel, depois de dizer que "a bermuda do Follmann está parecendo quadrinhos, gibi da Turma da Mônica" - Depois de tudo que aconteceu, impossível não criar um vínculo mais do que já tinha. O Alan e o Follmann são brincalhões, gente boa. Gente como a gente".

"Uma coisa que não sai da minha cabeça, no último dia que estava na Colômbia, foi que o Neto chegou para mim e disse: 'Comemore sua vida. Celebre sua vida!". São essas palavras que quero passar, vamos comemorar a vida. Realmente, foi um milagre. Deus nos pegou no colo, fomos os escolhidos para essa segunda chance, e essa recuperação está sendo positiva aos olhos das pessoas de fora. Poder acrescentar um pouco a elas, nos deixa muito felizes", contou Follmann, dando o tom da reunião.

Follmann Palmeiras Chapecoense Amistoso homenagem 21012017

(Foto: Chapecoense/Divulgação)

Após quatro meses e dois dias do acidente, o trio está se recuperando. Adaptado às próteses, Follmann já caminha, sem necessidade nem mesmo do apoio de muletas. Neto já recuperou a massa muscular e está na reta final de fisioterapia e Alan Ruschel também, como o zagueiro, está prestes a voltar a jogar.

"Sabemos que precisamos um do outro. Damos força uma para o outro. Isso é muito bacana. Nos vemos todos os dias, conversamos bastante e isso nos acrescenta. Precisamos estar juntos", contou o ex-goleiro.

A partida da semana que vem, que além de valer taça, terá uma série de homenagens para eles três e para as vítimas do voo, acontece na terça-feira (4), na Arena Conda, ás 19h15 (de Brasília), contra o Atletico Nacional.

"Agora, é o momento de olhar para frente, tocar a vida e celebrar. Temos muita coisa bacana e positiva na terra ainda!", concluiu Follmann.