Netanyahu garante que acordos de normalização modificam 'mapa do Oriente Médio'

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu em coletiva de imprensa em Jerusalém em 13 de agosto de 2020.
O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu em coletiva de imprensa em Jerusalém em 13 de agosto de 2020.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, garantiu neste sábado (24) que a normalização das relações com Emirados Árabes, Bahrein e Sudão permitirá a Israel deixar para trás seu isolamento geográfico e criar conexões aéreas mais curtas e menos caras para a população da região.

"Estamos modificando o mapa do Oriente Médio", afirmou Netanyahu durante coletiva de imprensa.

Os israelenses que viajam para os países asiáticos poderão agora economizar "horas [de viagem] e muito dinheiro", acrescentou o primeiro-ministro, graças ao fato de os aviões poderem voar pelo espaço aéreo dos Emirados, do Bahrein e da Arábia Saudita.

Depois de ter assinado acordos de normalização com os Emirados e o Bahrein em setembro, Israel fará o mesmo com o Sudão, anunciou o Estado hebraico na sexta-feira. "Haverá mais países", comemorou Netanyahu.

A Arábia Saudita não mantém relações oficiais com Israel, mas permitiu que voos comerciais israelenses passassem por seu espaço aéreo, após o acordo de normalização entre Tel Aviv e Dubai.

Netanyahu afirmou que o pacto com o Sudão beneficiará os passageiros que cruzam o Oceano Atlântico a partir do território israelense.

“A partir de agora vamos voar para o oeste, acima do Sudão, graças aos acordos que alcançamos antes mesmo de anunciar a normalização, (...) para o Brasil e para a América do Sul”, disse o primeiro-ministro.

"Israel estava completamente isolado. Israel agora está conectado com o mundo inteiro", concluiu Netanyahu.

scw/on/elm/eb/am