Nenê brinca com apelido de Mário Bittencourt e faz coro por Fred no Fluminense: 'Ficaria feliz'


A pandemia do novo coronavírus e a falta dos jogos obrigou os clubes a se reinventarem nas redes sociais. Uma das alternativas tem sido as "lives", vídeos ao vivo nos canais oficiais. Nesta quarta-feira, o meia Nenê foi o entrevistado na FluTV e não fugiu do assunto mais quente do Fluminense neste momento: a volta do atacante Fred. Assim como a torcida, o camisa 77 se mostrou empolgado com a possibilidade de atuar ao lado do centroavante.

- Espero que ele volte também. Claro que gostaria de jogar com ele, é um dos maiores ídolos do clube, um jogador sensacional, vai nos ajudar. A qualidade dele como jogador, eu ficaria muito feliz - brincou.


Em pouco mais de uma hora e meia de conversa, Nenê falou sobre a saudade do futebol e os treinamentos durante a quarentena. Bem humorado, o jogador relembrou as brincadeiras com o restante do elenco e com o presidente Mário Bittencourt, a quem chama de "Mário Bitcoins".

- O Mário deu azar porque eu falei na hora da coletiva. Toda imprensa estava lá, o pessoal pegou o vídeo e viralizou. No CT nós fazemos brincadeiras com os mais novos, apostas. Nosso ambiente é muito bacana. Uma coisa que não tem vaidade, ninguém com problemas entre si. Parecemos uma família, somos realmente isso. Sentimos a paixão do torcedor. Fazemos as brincadeiras e eles interagem. Eles veem a naturalidade. Fica uma coisa muito legal - explicou.

A brincadeira ficou conhecida durante as apresentações de Egídio e Yago, no CT Carlos Castilho. Nene fez um meme da internet virar realidade ao gritar o apelido em referência a uma brincadeira de torcedores nas redes sociais em razão às diversas contratações feitas pelo clube no ano.





Ninguém foi mais decisivo do que Nenê no Fluminense em 2020. Ele marcou nove gols e deu duas assistências nas 13 partidas em que jogou e está apenas atrás do goleiro Muriel em minutos jogados nesta temporada. Aos 38 anos, o jogador falou sobre como mantém a forma física e os planos para quando pendurar as chuteiras.

- Tenho mais três anos para jogar em alto nível, então tenho que me dedicar, sofrendo mesmo durante a semana. Ficar focado nos treinos, na alimentação, no sono. Onde estou tenho espaço para treinar e manter a forma. Minha ideia é manter a cada ano, mas para isso preciso fazer um trabalho extra. Eu estando bem vou ficar feliz, deixar meus companheiros felizes e a torcida também.

- Não fico pensando muito em aposentadoria, estou focando no dia a dia. Mas é algo que preciso pensar. Vai acontecer logo. Espero que demore o máximo possível, mas tenho a ideia de continuar no futebol. Antes pensava, mas não no clube, atualmente já penso na direção, comissão, treinador, auxiliar. Mas ainda é muito vago, não decidi. Não vou conseguir ficar longe, é um ambiente muito legal. Futebol é a minha paixão. É um privilégio fazer o que amo, então tenho que aproveitar ao máximo - completou.

Veja outras respostas de Nenê:

Volta do futebol

Tem coisas mais importantes, que é o caso no momento. Nossa saúde e nossa vida. Estando saudáveis para jogar, mesmo sem a torcida, temos que ter consciência. Infelizmente é o momento que estamos passando, mas espero que a gente possa voltar logo a jogar com os torcedores, que dão a beleza aos jogos. Os treinamentos estão sendo legais. É algo sensacional que a comissão técnica fez para a gente voltar bem. O que faz mais falta é a resenha, treinar no campo com bola. Está sendo muito bacana, uma dinâmica legal. Eles estão sempre mudando os exercícios para não ficar uma rotina grande ou ruim.

Influência para os mais jovens

É um motivo de orgulho. Tento dar o exemplo a cada dia. Claro que eu falo, as vezes brincamos ou falamos mais sério, mas o maior exemplo é nas atitudes. Nos treinos, nos jogos, concentração. Tento dar o exemplo para os mais jovens se inspirarem. Fico feliz deles se inspirarem. Marcos Paulo, Miguel, Lucas falaram publicamente. Fico feliz de ajudar no crescimento. A união é muito grande, não tem a diferença pela idade, todos somos iguais. Somos um grupo. O Miguel é mais novo do que o meu filho mais velho. Pela união que temos e a naturalidade das coisas, todos querem o bem do clube.

Treinos virtuais e forma física

O que me dá mais saudade é a bola, fazer os gols. Treinar em casa sem poder fazer brincadeiras e com o espaço mais reduzido. Todo dia só academia, eu não gosto muito. Prefiro o treino no campo. O ambiente faz falta. Chegamos e tomamos o café da manhã, conversamos, fazemos apostinhas, deito na molecada, como vocês já viram nos vídeos (risos). Está sendo legal a resposta de todos. Depois do treino eles abrem o áudio para a gente conversar e matar a saudade também.

Lançamento da camisa

Gosto de ficar brincando e para ficar sério, como estavam pedindo, foi difícil. Isso foi antes da quarentena. O lançamento seria muito antes, em março. Para ninguém achar que estávamos furando a quarentena. As duas camisas muito bonitas, os detalhes. Só mandaram a Tricolor, quero a branca também. Manda aí, Mário "Bitcoins".

Gols

Espero continuar ajudando o Fluminense. Os gols são mais um lucro, minha função, pela posição, na verdade é mais a assistência. Mas se eu tiver e puder ajudar o time nesse quesito, fico feliz. Estou louco para voltar, saudade do futebol e do clima da torcida. Espero continuar assim até o final do ano.


























Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também