Nem Iniesta, nem Neymar: Por que Dani Alves foi quem melhor entendeu Messi

Um fica no meio-campo, o outro na linha da frente, próximo do gol. Messi acerta um passe longo e preciso. Daniel Alves mata no peito, acerta com o joelho e retorna para o argentino, que amortece com a perna esquerda e acerta outra bomba. A sequência se repete por alguns minutos. A bola nunca tocou o gramado. 

Quando terminar a sua carreira, Dani Alves poderá se orgulhar de muitas coisas como, por exemplo, os 23 títulos conquistados com o Barcelona. Ou que era parte de um dos melhores times da história, com Pep Guardiola sob o comando. Mas, provavelmente, o detalhe que o torna especial é aquele que não vai deixar dinheiro ou troféu: Messi foi o seu grande parceiro dentro de campo, é aquele amigo que entende pelo olhar a próxima jogada. 

Talvez porque Puyol foi um líder demasiado, Xavi muito paternal e Iniesta um pouco formal. Dani Alves escolheu Messi, cinco anos mais velho do que ele como amigo dentro de um plantel que conquistou tudo. E o brasileiro, tão divertido, alegre, rebelde como bom jogador, tomou rapidamente os sinais e converteu o seu jogo em uma devoção: sempre que podia, dava a bola para a "la Pulga".

Daniel Alves, Lionel Messi, Neymar | Barcelona x Atlético de Madrid | 17052015

Os números dizem tudo: sendo lateral-direito, Dani Alves é o jogador que mais assistiu Messi em toda sua carreira, com 42. Muito longe aparece Iniesta, com 34, enquanto Xavi completa o pódio, com 31. É claro que o tempo de Guardiola foi especial: a equipe gerou pelo menos 15 chances de gol por partida, com o brasileiro desempenhando um papel mais na linha de frente do que como defensor. 

Às vezes, as estatísticas podem ser um pouco frias. Mas também clareiam quando precisam. Os dados do Opta mostram não apenas uma sintonia futebolística. É algo muito maior, muito mais profundo. Messi sabia que Daniel Alves - hoje seu adversário em um espetacular duelo de quartas de final de Champions League -, sempre estaria ao seu lado. E o brasileiro teve o cuidado de nunca falhar.

Na temporada 2011/12 da La Liga, Dani Alves deu 429 passes para o craque argentino, se tornando a combinação que mais se repetiu no Barcelona nesse torneio. No entanto, Messi assistiu mais Xavi, com 357 passes, com o brasileiro aparecendo logo atrás, com 293.

Sobre Dani Alves, até poderia haver dúvidas sobre a sua conduta, rendimento ou disciplina. Porém, a única certeza era que, nas estatísticas, sempre era quem mais ajudava Messi. E isso se provou na temporada 2015/16, quando registrou 328 passes, enquanto Neymar apareceu só com 270. 

VEJA TAMBÉM:
Bauza é demitido da Argentina | Aranha e Pottker comemoram vaga | L. Enrique dividido entre táticas

Nesta temporada, a tendência se mantém entre brasileiro e argentino. Neymar foi quem mais cedeu bolas para Messi, com 196, mas Busquets entregou quase que a mesma quantidade a Sergi Roberto, com 178. O fato é que até agora ninguém declarou o verdadeiro amor, quanto Dani Alves. Mas quando eles se encontrarem, não haverá risadas, carinhos e passes. A história mudou.