Nelsinho Piquet brinca com acidente, mas exalta equipe para disputa do Sertões 2020

Redação Motorsport.com
·3 minuto de leitura

A edição de 2020 do Sertões terá uma atração de peso: ex-piloto da Fórmula 1, primeiro campeão mundial da Fórmula E e atualmente na Stock Car, Nelsinho Piquet vai disputar o maior rali das Américas a bordo do Can-Am Maverick X3 da equipe Varela Racing Team.

A três dias do início da competição off-road, que terá largada no próximo dia 30 no Velocitta, em Mogi Guaçu (SP), Piquet falou ao Motorsport.com sobre a expectativa para a experiência inédita, que marca sua estreia em ralis de longa duração.

Nelsinho Piquet em UTV da Can-Am

Nelsinho Piquet em UTV da Can-Am<span class="copyright">Divulgacao</span>
Nelsinho Piquet em UTV da Can-AmDivulgacao

Divulgacao

"Virei e o carro vira mesmo. O centro de gravidade é alto, né... Ele tem um curso de suspensão muito grande, então é um carro que tem muito grip em terra, cascalho, qualquer tipo de chão", seguiu.

"Mas é uma questão de se adaptar. Eu, obviamente, quero ter isso no meu currículo: ganhar o rali dos Sertões um dia. Em alguma hora, eu tenho que começar, né? Porque isso vai levar anos para aprender e se acostumar, enfim. Não é uma coisa que vai acontecer da noite para o dia."

"Infelizmente, esse Sertões não vou poder fazer até o fim. O meu final vai ser em Palmas. Mas quero conseguir completar o máximo possível de estágios porque, quanto mais andar, mais vou aprender. E mais a Can-Am e os Varela vão ficar felizes para me levar para o ano que vem."

Reinaldo Varela aguarda ajustes no Can-Am durante etapa do Mundial

Reinaldo Varela aguarda ajustes no Can-Am durante etapa do Mundial <span class="copyright">Marian Chytka</span>
Reinaldo Varela aguarda ajustes no Can-Am durante etapa do Mundial Marian Chytka

Marian Chytka

O Motorsport.com também conversou com Reinaldo Varela, comandante da equipe de Nelsinho e um dos nomes mais renomados do rali mundial, com direito a título do Dakar 2018. O experiente falou sobre os desafios do Sertões e elogiou Piquet.

"Quando a pessoa vem do asfalto, ela tem que ‘desligar’ um pouquinho e ligar outra chave. É completamente diferente a parte de frenagem e o fato de que você anda o tempo inteiro escorregando. É diferente de pista, porque se escorregar em pista, está perdendo tempo."

"Quando o piloto senta e consegue dar diversas voltas, ele vai ‘pegando a mão’. Piloto é piloto. Todos que têm destaque na carreira aprendem, seja no asfalto, chuva, barro, lama... Tudo isso, vai aprender. E o Nelsinho aprendeu. [A capotagem] foi um deslize, mas, depois daquilo, andou muito e conseguiu chegar ao ponto de andar bem para poder terminar cada dia", seguiu Reinaldo, que é tricampeão mundial de Cross-Country e soma oito títulos no Sertões.

O patriarca do clã Varela também exaltou a realização do Sertões 2020: "Graças ao esforço da organização, vai acontecer. Porque não é fácil fazer um evento desse em plena pandemia e muitos deles foram cancelados. Mas, respeitando todos os protocolos, com essas ‘bolhas’ que foram feitas, vai acontecer um evento com bastante segurança para todo mundo, o que é muito importante."

Nelsinho revela que Nelsão dorme na garagem junto aos carros: "Ele é muito simples"

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PODCAST: É bom negócio ser companheiro de Max Verstappen na Red Bull?

Your browser does not support the audio element.

.