Negociações para definir futuro de Hudson seguem emperradas

Yago Rudá
Jogador tem contrato de empréstimo com o Cruzeiro até o fim desta temporada (Reprodução)

As negociações entre São Paulo e Cruzeiro pelo volante Hudson seguem sem uma definição. O jogador está emprestado ao clube mineiro até o fim deste mês e a Raposa aguarda a aprovação de seu orçamento financeiro da próxima temporada para apresentar uma proposta oficial ao Tricolor.

Os mineiros devem oferecer 750 mil euros (R$ 2,85 milhões) por 25% dos direitos do jogador. O São Paulo é dono de 50% dos direitos econômicos do atleta e a outra metade pertence a um grupo de empresários, que estariam dispostos a vender metade de sua quantia (isto é, 25 % do total) ao Cruzeiro em um futuro próximo.

Desta forma, caso a proposta seja feita e consequentemente aceita, a Raposa ficaria com 50% dos direitos econômicos do meio-campista, o São Paulo teria 25% e os investidores do volante ficariam com o mesmo valor do Tricolor após venderem parte de sua quantia ao clube de Belo Horizonte.

A princípio, o clube do Morumbi pediu 1,5 milhão de euros (R$ 5,7 milhões) para passar sua parte ao Cruzeiro. Alegando crise financeira, os mineiros apostam em sua boa relação com a diretoria do São Paulo para costurarem um acordo e manterem o jogador, peça-chave da equipe de Mano Menezes na campanha vitoriosa da Copa do Brasil, para a disputa da Copa Libertadores da próxima temporada.

As conversas entre paulistas e mineiros deveriam ter começado antes do término do Brasileirão. Contudo, como o São Paulo entrou na última rodada com possibilidades de se classificar a Libertadores, a negociação foi adiada. Terminado o campeonato nacional, as diretorias deveriam ter se reunido no início desta semana, mas, novamente, o encontro não aconteceu.

Com o pedido de demissão de Vinicius Pinotti, ex-diretor executivo de futebol do São Paulo, os cruzeirenses possuem receio de que as negociações esfriem. Por sua vez, o Tricolor ainda não se pronunciou sobre as conversas.









E MAIS: