NASCAR muda protocolo antes de prova em Atlanta com discursos que condenam racismo

motorsport.com

A NASCAR realiza neste domingo a 10ª etapa do campeonato de 2020 e teve antes da bandeira verde em Atlanta algumas mudanças de protocolo, em virtude da onda de protestos contra o racismo que acontecem no país desde a morte de George Floyd.

Antes mesmo dos pilotos adentrarem seus carros, uma mesma mensagem em vídeo foi divulgada nas redes sociais dos principais pilotos, falando sobre a importância da mudança de comportamento em relação ao racismo e à educação das pessoas.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Sabemos como a vida pode ter a mesma qualidade. Mas agora é a hora de desacelerar e refletir. Os eventos das últimas semanas destacaram o trabalho que ainda precisamos fazer como nação para condenar a desigualdade e o racismo. As mortes de George Floyd, Breonna Taylor, Ahmaud Arbery e inúmeras outras pessoas na comunidade negra são comoventes e não podem mais ser ignoradas.”

“O processo começa ouvindo e aprendendo, porque entender o problema é o primeiro passo para resolvê-lo. Estamos empenhados em ouvir com empatia e com um coração aberto para nos educar melhor. Usaremos essa educação para defender mudanças em nossa nação, nossas comunidades e, o que é mais importante, nossos próprios lares. Mesmo depois que as manchetes desaparecem.”

“Todas as nossas vozes fazem a diferença. Não importa quão grande ou pequena, é nossa responsabilidade deixar de ficar em silêncio. Para não ficar mais em silêncio. Nós simplesmente não podemos ficar calados. Temos um longo caminho pela frente. Mas vamos nos comprometer a fazer a jornada juntos.”

“Nossas diferenças não devem nos dividir. É o nosso amor por toda a humanidade que nos unirá enquanto trabalhamos juntos para fazer mudanças reais.”

No grid, o único pelo negro da categoria principal, Bubba Wallace, permaneceu com uma camiseta com a frase “I can't breathe” (não consigo respirar), dita por Floyd antes de sua morte.

O hino nacional foi cantado por Keedron Bryant, que recentemente teve um vídeo viralizado nas redes sociais cantando a música “I just wanna live”.

Assim que os carros foram para a pista e após algumas voltas, todos pararam na reta principal, quando se observou um momento de silêncio e o presidente da NASCAR, Steve Phelps, falou aos pilotos e fãs.

“Aqueles assistindo em casa, obrigado pelo seu tempo. Nosso país está sofrendo e as pessoas estão justamente irritadas, exigindo ser ouvidas. A comunidade negra sofreu em nosso país e levou muito tempo para ouvirmos seus pedidos por mudanças. Nosso esporte deve fazer melhor. Nosso país deve fazer melhor.”

“Chegou a hora de ouvir, entender e enfrentar o racismo e a injustiça racial. Pedimos aos nossos pilotos e todos os nossos fãs que se juntem a nós nesta missão, para ter um momento de reflexão para reconhecer que devemos fazer melhor como esporte e se juntar a nós, pois agora podemos parar e ouvir.”

Téo José revela papo com Silvio Santos que causou redução da cobertura da Indy

PODCAST: Entrevista com Rubens Barrichello: os bastidores da carreira do recordista de provas da F1

Your browser does not support the audio element.

Leia também