NASCAR: FBI diz que Bubba Wallace não foi alvo de "crime de ódio"; entenda

motorsport.com

Depois de uma corda de enforcamento ser encontrada na garagem de Bubba Wallace em Talladega, o FBI iniciou investigações sobre a presença do símbolo histórico do racismo norte-americano no box do piloto e chegou à conclusão de que o competidor não foi alvo de "crime de ódio". A informação foi divulgada em comunicado da NASCAR nesta terça-feira, quado a categoria de automobilismo mais popular dos Estados Unidos deu atualizações sobre o caso.

Leia também:

F1: Hamilton manifesta apoio a Bubba e parabeniza ações da NASCARBlaney vence prova intensa em Talladega com final emocionantePodcast #053 – As notas atribuídas aos pilotos no game F1 2020 são malucas?

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“O FBI concluiu sua investigação no Talladega Superspeedway e determinou que Bubba Wallace não foi alvo de crime de ódio. O relatório do FBI conclui, e evidências fotográficas confirmam, que a corda havia sido posicionada lá desde o início do outono [norte-americano] passado".

O comunicado oficial seguiu: "Obviamente, isso foi bem antes da chegada da equipe à garagem. Agradecemos a investigação rápida e completa do FBI e estamos gratos por saber que este não foi um ato racista intencional contra Bubba".

"Permanecemos firmes em nosso compromisso de oferecer um ambiente acolhedor e inclusivo para todos os que gostam de corridas", concluiu a categoria, que foi elogiada por Lewis Hamilton pelo posicionamento contra o racismo. O hexacampeão da F1 também deu apoio a Wallace.

 

Superação: veja como Zanardi surpreendeu a todos na UTI e nos inspirou a amar a vida

PODCAST Motorsport.com discute notas polêmicas do game F1 2020; ouça o bate-papo

Your browser does not support the audio element.

.

Leia também