Napoli honra Maradona com vitória em jogo marcado por homenagens e coincidência especial - saiba qual

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

Pouco mais de 24 horas depois de sofrer o maior baque de sua história - o falecimento de seu herói e grande ídolo, Diego Armando Maradona -, o Napoli adentrou o gramado do Estádio San Paolo para compromisso válido pela Europa League, competição que chegou a ser conquistada pelo gênio argentino na temporada 1988/89, quando esta ainda se chamava Copa da UEFA.

O entorno da casa napolitana - que será rebatizada para Estádio Diego Armando Maradona, como já confirmou o presidente do clube -, já havia se transformado em um 'memorial a céu aberto, com fotos, cartazes, faixas e outras lembranças do ídolo. Em campo, como não poderia ser diferente, outras homenagens foram prestadas ao craque: além do minuto de silêncio e do tributo nos telões, todos os jogadores napolitanos adentraram o gramado vestindo a lendária camisa 10.

FBL-EUR-C3-NAPOLI-RIJEKA | FILIPPO MONTEFORTE/Getty Images
FBL-EUR-C3-NAPOLI-RIJEKA | FILIPPO MONTEFORTE/Getty Images

Vitória marcada por 'coincidência especial'

Campeão nato e protagonista das maiores conquistas da história do clube, o melhor jeito do Napoli honrar Maradona seria vencendo a partida. E assim foi: 2 a 0 sobre o Rijeka (CRO), resultado que levou a equipe italiana à liderança da chave F com nove pontos somados, em 12 possíveis.

O triunfo foi marcado por uma coincidência especial, um enredo improvável que só o futebol é capaz de proporcionar: o primeiro gol do jogo, o primeiro gol após a despedida de Maradona, foi anotado contra por um jogador chamado Armando Anastasio. Lateral-esquerdo do Rijeka, ele nasceu em Nápoles no ano de 1996, sendo foi batizado com este nome em homenagem a Diego.

Diego Armando Maradona Death Mourning In Naples | Ivan Romano/Getty Images
Diego Armando Maradona Death Mourning In Naples | Ivan Romano/Getty Images

'Diego viverá para sempre'

Em entrevista concedida após o encerramento da partida, o técnico do Napoli, Gennaro Gattuso, prestou a sua homenagem ao maior ídolo da história do clube: "Diego não foi apenas o homem que conquistou o Scudetto, foi o melhor jogador do mundo que vestiu a camisa do Napoli, representou esta cidade e fez um sonho de uma geração quando os troféus foram todos para os clubes do norte. Ele veio de outro planeta e viverá para sempre, como todas as lendas. Esperamos poder dedicar um troféu para ele o quanto antes", afirmou.