Napoli em crise: clube enfrenta protesto da torcida e racha entre Ancelotti e presidente

Após resultados ruins e fraco desempenho, o castelo de cartas napolitano começa a ruir: jogadores, treinador e presidente estão em conflito
Após resultados ruins e fraco desempenho, o castelo de cartas napolitano começa a ruir: jogadores, treinador e presidente estão em conflito

E Nápoles está pegando fogo. Não, não é uma erupção do Vesúvio, é o clima dentro do clube napolitano. Sem vencer há quatro jogos, além de estar na sétima colocação na Serie A italiana, a torcida não perdoou o empate em casa diante do Red Bull Salzburg e mais de 500 torcedores foram ao CT de treinamentos do clube para protestar.

Além dós torcedores terem ofendido os jogadores, os chamando de "mercenários" e pedindo respeito a camisa do Napoli, sobrou até para o presidente Aurelio De Laurentiis. Os ultras do clube pediram a saída do mandatário, tomando o lado do treinador Carlo Ancelotti na briga pública entre os dois.

Depois da derrota do Napoli para a Roma por 2 a 1 no clássico, o presidente do clube ordenou que os jogadores ficassem totalmente concentrados em um hotel até o próximo domingo, quando a equipe recebe o Genoa.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No entanto, após o empate diante do Salzburg, pela Liga dos Campeões, o elenco do Napoli não se reapresentou na concentração, optando por voltar as suas casas. Ancelotti não apoiou o "castigo" do mandatário do clube e concordou com os a decisão dos jogadores de abandonarem o hotel.

De acordo com publicações italianas, pilares da equipe como Allan, Insigne, Mertens e Callejón foram os líderes do "movimentos" e os mais exaltados, e o brasileiro chegou até a ofender o filho do presidente do clube.

É claro, nem tudo está em chamas, e se a primeira fase da Liga dos Campeões terminasse hoje, o Napoli ainda estaria classificado para as oitavas-de-final da competição. No entanto, uma das eras mais vencedoras da história do clube pode estar chegando ao seu triste final.

Leia também