Napoli critica seus torcedores após confrontos com fãs da Roma em rodovia na Itália

O Napoli condenou nesta segunda-feira os seus "supostos torcedores" que provocaram caos em uma rodovia italiana no domingo com um confronto com os torcedores da Roma quando voltavam à cidade do sul da Itália depois de assistirem à vitória de sua equipe em Gênova sobre a Sampdoria (2-0).

'Ultras' dos dois times se enfrentaram com muita violência na autoestrada A1 na tarde de domingo, depois de se chocarem em uma área de serviço na Toscana.

Chamada de "rodovia do sol", a A1 vai de Nápoles a Roma e depois para Milão, no norte do país, onde a Roma enfrentou o atual campeão Milan com quem empatou em 2 a 2 na noite de domingo.

"O Napoli condena veementemente o comportamento dos supostos torcedores que, infelizmente, ainda vão ao futebol na Itália", disse o clube em um comunicado.

"Aterrorizar, como aconteceu ontem (domingo) na autoestrada A1, pessoas que nem sequer são torcedores de futebol", criticou o texto.

Vídeos postados nas redes sociais pela televisão pública RAI mostraram dezenas de torcedores lutando com sinalizadores, cintos e tacos de beisebol em uma rodovia com sirenes da polícia tocando ao fundo.

Segundo a polícia, citada por meios de comunicação italianos, os confrontos provocaram o bloqueio da autoestrada durante 50 minutos, originando engarrafamentos de até 15 km.

"Foi um ato sem sentido que colocou em grave perigo as pessoas que trafegavam em uma das rodovias mais importantes do país", disse Roberto Rossi, procurador-geral da região de Arezzo.

Os dirigentes napolitanos pediram medidas "drásticas e eficazes" para combater a violência no futebol na Itália, como a Inglaterra fez com seus hooligans na década de 1980.

"É intolerável que pessoas violentas possam viajar sem serem molestadas na Itália e que possam ir a estádios de futebol", disse o comunicado do Napoli, atual líder do Campeonato Italiano.

O presidente da Federação Italiana de Futebol, Gabriele Gravina, chamou o ocorrido de "vergonhoso", pedindo que "as instalações façam mais" para combater o problema.

"Essas pessoas não têm nada a ver com esporte e deveriam ser punidas", acrescentou.

Embora a questão da violência no futebol na Itália não seja tão grave quanto no passado, alguns episódios trazem à tona um problema que às vezes fica sem solução.

Em dezembro de 2018, um torcedor foi morto atropelado por uma van durante confrontos entre torcedores da Inter e do Napoli no estádio San Siro.

td/smr/mcd/aam