Naming rights e setor popular: os planos de Casares para o Morumbi

Gabriel Santos
·2 minuto de leitura

O Estádio do Morumbi, casa do São Paulo, pode ter novidades neste ano sob a gestão do novo presidente Julio Casares. Uma das possíveis coisas novas será a venda de naming rights do local. Porém, o mandatário deixou claro que o estádio continuará tendo o mesmo nome. As conversas, segundo ele, estão acontecendo com um conceito definido.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

- Isso é uma questão de mercado, não só de necessidade, de modernidade. O estádio continuará a se chamar Cícero Pompeu de Toledo. O naming rights não é só exposição da marca no estádio, o cliente tem que ter uma ativação do conteúdo. Se você fizer um acordo com atletas com potência nas redes sociais, ativações, camisa, isso contempla um naming rights integrado, que não é só a marca dentro do estádio. É esse conceito que vamos trabalhar. Já temos conversas, vamos evoluir - afirmou, em entrevista coletiva na última segunda-feira (04).

Leia também:

Outra questão levantada por Casares foi a criação de um setor popular no Morumbi. O mandatário afirmou que o espaço terá uma capacidade de oito mil lugares e contemplará torcedores de classes sociais mais baixas. O local terá o custo do ingresso de 50% com o menor preço vendido.

- O setor popular terá oito mil lugares. Quando o público voltar teremos a garantia deste setor com 50% com o menor preço vendido. A garantia é para aquele torcedor que poucas vezes pode vir ao Morumbi, os grandes são-paulinos, poderá vir mais vezes para o Morumbi. Não é só ingresso, é comida, transporte. O São Paulo tem um estádio grande, próprio, não deve nada a ninguém, e tem condições de comportar todas as classes - afirmou.

O Morumbi também sofre com os alagamentos, principalmente no começo do ano. Na semana passada, antes do jogo contra o Grêmio, o Morumbi foi atingido por uma forte enchente e a sede social do Tricolor teve que ser fechada. Casares afirmou que terá uma reunião com Bruno Covas (PSDB), prefeito de São Paulo, para tratar sobre o problema.

- Estou aguardando uma agenda com o prefeito Bruno Covas (PSDB), que já pedimos, para colocar esse assunto, essa angustia dos nossos sócios, usuários e moradores do Morumbi em relação às fortes chuvas, as obras que estão orçadas têm que sair do papel, e isso que vamos colocar ao prefeito. No dia 6 de janeiro, às 16h, temos uma audiência com o governador João Doria (PSDB) para falar da segurança ao redor do estádio - disse o mandatário na ocasião.

O São Paulo volta a jogar no Morumbi no próximo domingo (10), quando enfrenta o Santos, às 16h, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Antes, o Tricolor encara o Red Bull Bragantino, no Nabi Abi Chedid, às 21h30, na próxima quarta-feira (06).

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos