Nadine Bastos, sobre invasão de Deyverson no gol do Palmeiras: 'A regra diz que é tiro livre indireto'

·1 minuto de leitura


Comentarista de arbitragem do SBT, Nadine Bastos viu uma possível irregularidade no gol do Palmeiras. No lance em questão, que garantiu a equipe de Abel Ferreira na segunda final consecutiva da Libertadores, o atacante Deyverson invade o gramado do Mineirão enquanto Gabriel Verón construía o ataque.

- O Deyverson já está dentro de campo, o que é uma invasão de alguém que está relacionado. No texto da regra diz que não poderia ter um jogador a mais ou que o técnico não poderia estar em campo, a regra diz que é tiro livre indireto - começou Nadine.

- Textualmente o gol seria anulado. Mas será que isso teria interferência no jogo? Seria justo anular um gol por essa invasão? Ele invade realmente bem antes de a bola entrar. Isso está sendo questionado, é algo que tem que ser discutido - completou a ex-árbitra.

Pivô da polêmica, Deyverson aproveitou a polêmica e publicou nas redes sociais um provocação aos rivais.

- Falem o que quiser. Estamos na final. Querem procurar algo para não falarem da nossa conquista né!? Estamos na final. Piscadinha da inveja - escreveu o atacante.

TRECHO RETIRADO DO LIVRO DE REGRAS DA CBF

9. Gol marcado com pessoa extra no campo de jogo

Se, após a marcação de um gol e antes de o jogo ser reiniciado, o árbitro perceber que uma pessoa extra se encontrava dentro do campo no momento em que o gol foi marcado:

O árbitro deve invalidar o gol se a pessoa extra era:

- jogador, jogador substituto, jogador substituído ou jogador expulso ou oficial da equipe que marcou o gol. O jogo deve ser reiniciado com um tiro livre direto, executado do local em que a pessoa extra estava;

- agente externo que interferiu no jogo, a menos que o gol haja sido marcado de acordo com a situação descrita em "pessoas extras no campo de jogo". O jogo deve ser reiniciado com bola ao chão.

O árbitro deve validar o gol se a pessoa extra era:

- jogador, jogador substituto, jogador substituído, jogador expulso ou oficial da equipe que sofreu o gol;

- agente externo que não interferiu no jogo.

Em todos os casos, o árbitro deve ordenar a saída da pessoa extra do campo de jogo.

Se, após a marcação de um gol e após o jogo haver sido reiniciado, o árbitro perceber que uma pessoa extra estava em campo no momento em que o gol foi marcado, o gol não pode ser invalidado. Se a pessoa extra ainda continuar no campo de jogo, o árbitro deve:

- interromper o jogo; ordenar a saída da pessoa extra; reiniciar o jogo com um bola ao chão ou com um tiro livre, conforme seja apropriado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos