Nadal: 'Não luto pelo Nº 1'

Rolex Paris Masters


Rafael Nadal concedeu entrevista coletiva e comentou que não se vê lutando pelo número 1 mesmo com reais chances nos dois últimos eventos do ano em Paris e no ATP World Finals. Ele nunca ganhou os dois eventos, somando no máximo finais.

"Estou orgulhoso de todas as coisas que conquistei e que ainda posso alcançar em 2022. Para deixar claro, entendo que esse é um foco de conversa para vocês, mas não luto para ser o número 1, apenas luto ser competitivo em todos os torneios que jogo. Isso é algo que eu disse há muito tempo: não luto mais para ser o número um. Eu fiz isso no passado, alcancei esse objetivo algumas vezes na minha carreira , em momentos que foram muito felizes e nos que tive orgulho de ter, agora, porém, estou em um ponto da minha carreira em que não luto mais para ser o número 1", reiterou o espanhol que assumiria o topo com título e queda cedo de Carlos Alcaraz esta semana.

"Quando você vive um ano muito positivo, ser o número um ou não é consequência de todas as coisas que você fez durante aquele ano. É óbvio que quando fui número um pela primeira vez na minha carreira, em 2008, eu queria estar lá, porque senti que em 2005, 2006, 2007 e 2008 estava assinando resultados incríveis, ganhando muitos torneios e com um grande número de pontos no sistema de classificação. No entanto, eu tinha alguém como Roger na minha frente. Hoje a história é totalmente diferente, não sei quantos torneios joguei, algo como dez, e só consegui terminar oito. É difícil ser o número um do mundo assim, mas estou feliz por estar em uma posição que mostra que, quando joguei, fui muito bem."

Nadal volta ao circuito desde o US Open de forma oficial: "Estou feliz por voltar ao circuito depois de um tempo. Não pude jogar muito nos últimos cinco meses. Estou feliz, como sempre, por voltar a uma cidade que todos sabem o quanto é importante para mim, embora é verdade ao mesmo tempo, neste evento eu nunca tive muitos pontos positivos na minha carreira (risos). Sério, estou realmente ansioso para estar aqui, tentando me colocar em uma posição onde eu possa ser competitivo novamente," disse o espanhol.


Rafa sofreu com problemas abdominais desde Wimbledon e ainda não sabe como chegará fisicamente para Nova York.


"Eu não sei. Vamos ver como o corpo se comporta em um nível competitivo. Em corpos mais velhos, como o meu, é fácil saber como as coisas vão quando você joga torneios regularmente: quando você vem de um período de afastamento da competição é difícil saber como o seu corpo vai responder, pois é evidente que o circuito é diferente do treino que você pode ter em casa. É claro que foi um ano incrível em termos de resultados, mas ao mesmo tempo tem sido complicado nível de lesão. Estou muito animado por estar aqui. Vou fazer o meu melhor, e depois levar as coisas como elas acontecem. Espero estar pronto para amanhã, Vou tentar ser competitivo. Vamos ver, estou realmente ansioso por isso."

Nadal foi pai há três semanas e relatou qual o sentimento por deixar seu filho pela primeira vez: "É diferente, é uma abordagem diferente do habitual. Honestamente, é sempre difícil sair de casa (risos). ? É uma experiência nova, todas as mudanças são difíceis nesta vida, e você precisa se adaptar. Mas é verdade que temos sorte com a tecnologia hoje em dia, podemos fazer videochamadas quando quisermos, então isso ajuda muito."