Nadadora de 14 anos superou morte do treinador e câncer do pai para ir à Olimpíada

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Summer McIntosh superou obstáculos para buscar vaga olímpica - Foto: Canadian Press
Summer McIntosh superou obstáculos para buscar vaga olímpica - Foto: Canadian Press

Com apenas 14 anos, Summer McIntosh surpreendeu o mundo da natação ao conseguir uma vaga para a disputa dos 200 metros livre na Olimpíada de Tóquio. O feito já seria considerável, mas tornou-se ainda mais impressionante pelos percalços enfrentados pela adolescente.

McIntosh precisou superar dois dramas pessoais no último ano e meio, na reta final da preparação para a disputa de uma vaga olímpica na Seletiva Canadense, realizada há um mês.

Leia também:

Tudo começou em abril do ano passado, quando o técnico da adolescente, Kevin Thorburn, morreu. O treinador era um nome conhecido da natação canadense e trabalhava há anos com McIntosh.

A nadadora ainda se recuperava da perda quando, em janeiro, seu pai foi diagnosticado com um câncer. Greg ficou de cama por semanas e precisou se mudar para Toronto, onde passaria por tratamento em um hospital especializado.

Summer e sua mãe, Jill, alugaram um apartamento em Scarborough, Ontário, onde a jovem deu sequência aos treinamentos. E mesmo com todos os obstáculos, além da pandemia, a nadadora realizou o sonho de faturar uma vaga olímpica aos 14 anos.

“Todo mundo teve suas batalhas nesta pandemia. Mas ela perdeu o treinador de repente. Foi devastador. Então, precisou mudar completamente seu treinamento e mudar-se de cidade. Foi tudo novo para ela, assustador. E então, teve o pai dela. Os obstáculos… Ela superou tudo muito bem. Estou muito orgulhosa”, disse Jill.

A vaga olímpica veio no dia 20 de junho. Summer venceu a prova dos 200 metros livre, deixando para trás Penny Oleksiak, dona de quatro medalhas olímpicas, sendo um ouro no Rio, em 2016. Tudo isso observada pelo pai, que acompanhava das arquibancadas o desempenho da filha.

“Ele (Greg) merecia ter recebido um Oscar por isso, porque ele literalmente não estava conseguindo sair da cama”, lembrou Jill. “Esta foi a primeira vez que ele conseguiu entrar no banho e vestir uma camiseta.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos