Na lanterna e com pior início desde 1997, torcida do Fla pede demissão de Dome

Jorge Nicola
·2 minuto de leitura
Domènec perdeu os dois primeiros jogos no Fla e já tem metade das derrotas de JJ (Alexandre Vidal/Flamengo)
Domènec perdeu os dois primeiros jogos no Fla e já tem metade das derrotas de JJ (Alexandre Vidal/Flamengo)

Domènec Torrent completou nesta quarta-feira dez dias de trabalho à frente do Flamengo e, acredite, já virou alvo de muito torcedor rubro-negro. Tudo porque o time sob seu comando colecionou derrotas nas duas primeiras partidas do Brasileirão: 1 a 0 para o Atlético-MG e 3 a 0 para o Atlético-GO.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Na madrugada desta quinta-feira, após o tropeço em Goiânia, algumas centenas de flamenguistas exigiam a demissão de Dome. Nada que abale seu moral com a diretoria, embora as estatísticas de fato joguem contra. O Flamengo é, neste momento, o lanterna do Campeonato Brasileiro, algo que não acontecia desde 3 de agosto de 2014.

Leia também:

Seis anos atrás, o Fla dormiu na última colocação depois da 13ª rodada. Esse início com duas derrotas também já é o pior do clube na era dos pontos corridos, ou seja, em 2003. A última vez que largou no Brasileirão com duas derrotas foi no longínquo ano de 1997, quando perdeu para o Santos por 3 a 2 e para o Bahia por 1 a 0, ambas fora de casa.

Torcedores do Flamengo cobrando a saída do novo treinador (Reprodução/Twitter)
Torcedores do Flamengo cobrando a saída do novo treinador (Reprodução/Twitter)

Dome, inclusive, parece ter sentido a mudança de astral nas redes sociais. O catalão, que saltou de 10 mil para 437 mil seguidores no Instagram, desde que virou comandante rubro-negro, decidiu bloquear comentários na sua conta após o primeiro tropeço.

Já houve, inclusive, quem o classificasse na descrição na Wikipedia como o “Abel Braga europeu”. Tanta implicância é fruto das derrotas e dos erros cometidos nos dois jogos. Diante do Galo, o espanhol terminou a partida sem meias (sacou Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta) e com cinco atacantes. Já nesta quarta, improvisou Rodrigo Caio na lateral direita, pôs Everton Ribeiro centralizado, deixou Arrasca no banco e isolou Gabigol e Bruno Henrique.

Veja mais de Jorge Nicola no Yahoo Esportes

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos